Arquivo da categoria ‘Repórter Record’


O Repórter Record investiga o do sistema de saúde no Brasil

16/11 | Reporter Record
23h00 | Record

Na noite da próxima segunda-feira, dia 16/11, às 23h, o programa jornalístico da Record especializado em matérias investigativas revela o drama dos brasileiros que sofrem horas de espera por um atendimento médico.

Depois de semanas de investigação pelos principais hospitais públicos do país, o Repórter Record apresenta um raio-X detalhado do sistema de saúde brasileiro.

Vítimas do improviso, doentes precisam enfrentar maratonas intermináveis, que podem custar a própria vida. Falta de médicos, burocracia, funcionários de braços cruzados. Por que é tão difícil conseguir marcar uma consulta pelo SUS?

Os repórteres da Record flagram uma situação revoltante: pelos corredores do hospital, dezenas de pessoas esperam, amontoadas, por uma avaliação médica. A equipe do Repórter Record registra imagens assustadoras de abandono. Gritos e convulsões em macas espalhadas pelas salas de espera. Pais de mãos atadas, forçados a ver a própria filha agonizar de dor.

Horror e desespero no pronto-socorro. Fernanda perdeu a visão em uma crise hipertensiva. Procurou um hospital da zona leste de São Paulo. Durante a espera, de mais de cinco horas, uma nova crise: ela para de respirar. E a enfermeira se recusa a prestar atendimento.

Em outro hospital da periferia paulistana, a situação se repete. A expectativa pelo atendimento não passa da porta: os próprios funcionários explicam que os prontos-socorros só podem atender emergências graves. Por que órgãos públicos escolhem os pacientes?

Uma escolha: trocar a incerteza da fila no hospital pela morte certa em casa. O que fazer quando instituições se recusam a receber pacientes?

A vida por um fio. Por falta de documentos, uma mulher é obrigada a dar à luz sozinha em uma cadeira, dentro do hospital.

O mapa do atendimento, na ponta da língua do segurança de uma unidade do SUS: “atendimento é para gestante, idoso, fraturados, baleados e policial militar”.

Apresentado por Marcos Hummel, o Repórter Record revela a saga de brasileiros que sofrem em busca de socorro.

O Repórter Record revela o que acontece no submundo das baladas proibidas



Na noite desta segunda-feira, dia 09/11, às 23h, o programa jornalístico da Record especializado em matérias investigativas teve um raro acesso às festas organizadas pelo crime organizado e exibe um flagrante exclusivo: o tráfico de cocaína ocorre no meio da rua, sem qualquer repressão da Polícia. Nenhum morador tem coragem de reclamar do barulho provocado por imensas caixas de som. Ambulantes são obrigados a pedir autorização ao comando da facção que domina os presídios de São Paulo para montar uma barraca na calçada durante a balada do crime.

Em outra festa promovida por bandidos em uma cidade da Grande São Paulo, a quantidade de maconha consumida pelos frequentadores impressiona. Testemunhas contam ao Repórter Record que é comum discussões terminarem em tiroteio. A trilha sonora? Funks com letras que exaltam os mandos e desmandos dos chefões do crime.

Os repórteres da Record entram em um ônibus lotado de jovens a caminho de uma festa rave e testemunham o uso indiscriminado de lança-perfume. Todos os passageiros sabem que embarcam numa viagem perigosa. Para a maioria, aliás, é essa a grande atração da balada: o flerte com um limite fatal.

Na praia, os dias de folga conhecidos como “Semana do Saco Cheio” funcionam como o pretexto ideal para o uso excessivo de álcool e drogas. Longe do olhar dos pais, os jovens dão passos perigosos rumo a uma liberdade que extrapola a lei.

Em Israel, o Repórter Record revela a invasão do khat nas baladas de Tel Aviv. A droga, que contém o alcalóide chamado catinona (estimulante similar à anfetamina), provoca excitação e euforia no usuário.

E ainda: o drama de pais que tiveram suas vidas transformadas por causa de uma balada. A mãe que não sabe mais o que fazer com o filho, antigo usuário de cocaína em festas raves e agora, viciado em crack. E o pai de um jovem morto por espancamento na saída de uma festa.

Baladas proibidas. Apresentado por Marcos Hummel, o Repórter Record vai ao ar na noite de hoje, às 23h.

Repórter Record Exibe O Drama De Quem Precisa Emagrecer

Na noite desta segunda-feira, dia 26/10, às 23h, o programa jornalístico da Record especializado em matérias investigativas exibe uma reportagem exclusiva sobre os bastidores e atalhos da fila para cirurgia de estômago num hospital público. Quanto é preciso esperar? Quais as artimanhas para encurtar uma espera que pode chegar a quase 10 anos?

Um médico, dois caminhos. Os repórteres da Record mostram a nebulosa fronteira entre o consultório particular de um gastroenterologista e o atendimento que ele chefia no SUS. O programa jornalístico faz uma revelação: talões de receita do sistema público ficam guardados no armário de uma clínica privada. Cansado de aguardar o chamado para a operação, um paciente recorre ao Ministério Público para denunciar um esquema de facilitação.

A fila para a cirurgia bariátrica coleciona histórias de sofrimentos e privações. André Luís tem 33 anos de idade. Pesa 250 quilos. E mora no quinto andar de um prédio sem elevadores. Prisioneiro do próprio peso, quase não sai de casa. Tem medo de morrer nos degraus.

Com apenas 21 anos de idade, Jaqueline já ultrapassou a barreira dos 180 quilos. Está na fila para a cirurgia de redução do estômago no SUS há sete anos. Sonha com o fim da obesidade, de olho num emprego para ajudar a mãe.

Os repórteres investigam no Sul do país as mortes de cinco paciente que realizaram a operação bariátrica. O médico deles é um político da região metropolitana de Porto Alegre.

E ainda: a comovente história da moradora de Brasília que morreu à espera de autorização para fazer a cirurgia num hospital público de Brasília.

Apresentado por Marcos Hummel, o Repórter Record vai ao ar na noite de hoje, às 23h.

Repórter Record: o drama de mães com filhos desaparecidos

Repórter Record | 19/10 seg 23h00 (Feriado) | Rede Record – Jornalismo |

O Repórter Record da próxima segunda-feira (19/10, às 23h) conta o drama das famílias marcadas pelo desaparecimento de uma criança. Uma jornada de fé e dedicação de mães tomadas pela certeza de que vão voltar a ver os filhos a qualquer momento.

A reportagem mostra o sofrimento de Francisca, que largou o emprego para se dedicar exclusivamente em procurar pelo filho Hugo, desaparecido há dois anos. Em casa, um gesto simboliza sua esperança: o quarto de Hugo permanece arrumado exatamente do jeito que estava no dia em que ele desapareceu.

Silvana Junqueira, espera pelo retorno do filho Diego há 13 anos. O menino foi levado por assaltantes, que fizeram o avô dele refém. Ivanize Espiridião transformou a busca pela filha desaparecida há 13 numa causa de milhares de outras mães, fundando a Mães da Sé, uma instituição que reúne sete mil casos como o dela.

Estima-se que o número de crianças desaparecidas no Brasil chegue a 50 mil por ano. Ativistas como Ivanize e Arlete Caramês, fundadora da Credispar (Movimento Nacional em Defesa das Crianças Desaparecidas do Paraná), trazem a público uma pergunta até hoje sem resposta: se existe um cadastro nacional para veículos roubados, por que não há algo semelhante para crianças desaparecidas?

Apenas dois estados possuem delegacias especializadas em desaparecidos: Minas Gerais e Paraná. A reportagem conhece como funciona o distrito de Curitiba. Em São Paulo, descaso e insensibilidade. O Repórter Record flagrou o desconhecimento de escrivães e delegados sobre a lei que obriga a Polícia a registrar o desaparecimento de menores de idade, no momento em que a família presta queixa. No caso de adultos, este prazo pode chegar a 24 horas.

A equipe de reportagem embarca para a Itália junto com uma mãe que não vê a filha há 22 anos. As pistas indicam que ela mora perto de Milão.

Durante toda a edição do Repórter Record, o telespectador pode participar com informações e dicas sobre o paradeiro de meninos e meninas mostrados durante o programa. Basta acessar o portal http://www.R7.com

Repórter Record exibe flagrantes de rachas

Repórter Record | 12/10 seg 23h00 (Feriado) | Rede Record – Jornalismo |

Na noite da próxima segunda-feira, dia 12/10, às 23h, o programa jornalístico da Record especializado em matérias investigativas exibe imagens de mais de 150 flagrantes de rachas realizados nas ruas de São Paulo.

Durante um mês, o Repórter Record espalhou suas câmeras em lugares estratégicos da madrugada paulistana. As imagens revelam uma brincadeira ilegal, que pode acabar em morte.

Os repórteres se depararam com avenidas transformadas em pistas de corrida. Na calada da noite, os motores roncam alto. E os velocímetros disparam. Faróis vermelhos. Multidões no acostamento. Polícia por perto. Nada assusta os pilotos amadores, viciados em adrenalina.

Apresentado por Marcos Hummel, o jornalístico exibe ainda uma história de inconsequência ao volante. Mesmo com a mulher e a filha a bordo, um rapaz não conseguiu resistir a uma provocação. E pisou fundo, rumo a um acidente fatal.

Durante todo o programa, os telespectadores podem participar da enquete do Repórter Record no portal R7 (www.R7.com) e responder à pergunta “O que fazer para acabar com os rachas?”. O site do programa também presta serviço e explica como denunciar competições clandestinas.

Por que correr tanto? Existe uma forma legal e segura de curtir a velocidade? Até quanto os maníacos por carro são capazes de gastar para ter uma máquina possante a seus pés?

As respostas, na próxima segunda-feira (12), no Repórter Record, às 23hs.

Repórter Record | 05/10 seg 23h00 | Rede Record – Jornalismo |

Repórter Record denuncia os maus-tratos contra idosos

O programa jornalístico da Record especializado em matérias investigativas revela que o Brasil é um país cada vez mais velho. O governo brasileiro calcula que a população de idosos deve triplicar nos próximos 10 anos. O Repórter Record da próxima segunda-feira (05/10), às 23h, apresenta histórias que indicam que o caminho rumo à dignidade ainda é longo.

Agressões, abandono e descaso. De um lado, vítimas incapazes de se defender. Do outro, no papel de agressores, quem mais deveria zelar pela proteção dos idosos: filhos, netos, enfermeiras e acompanhantes.

Os telespectadores vão ver ataques de fúria que chocaram o país. Graças ao uso de câmeras escondidas, funcionários que maltratam os velhinhos são pegos no flagra. Quando os tapas e socos partem dos próprios familiares, só resta torcer para que os olhos e ouvidos de um vizinho estejam atentos.

Os repórteres da Record revelam ainda que as agressões não são só físicas. O abandono deixa cicatrizes profundas na vida de uma cadeirante de 70 anos. A equipe da emissora foi atrás da filha dela. A resposta para não visitar a mãe? “Falta de tempo”.

Em outro caso, em Santos, no litoral paulista, o Repórter Record se deparou com um cenário devastador: um apartamento tomado pelo lixo, um cheiro insuportável e repleto de comida estragada. É o lugar que um casal de idosos chama de lar.

O programa jornalístico acompanha a Polícia em uma denúncia de maus-tratos. No local indicado, a equipe de reportagem da emissora encontra uma senhora amarrada à cama pela irmã mais nova. O que motivaria um gesto tão drástico?

E nos hospitais, como funciona o atendimento aos idosos? Será que eles têm prioridade?

Apresentado por Marcos Hummel, o Repórter Record vai ao ar na próxima segunda-feira (05/10), às 23h.

Destaques da Rede Record

HOJE, 28/09

Tio Sam News

Repórter Record mostra o retrato da infância corrompida pelo crime

Na noite desta segunda-feira (28/09), às 23h, o programa jornalístico da Record especializado em matérias investigativas apresenta uma geração perdida para o mundo do crime. Assaltos, tráfico, assassinatos: uma escolha arriscada, feita por milhões de crianças do mundo inteiro. Um caminho sem volta? Negligência dos pais ou das autoridades?

Os repórteres da Record vão às ruas e relatam que a droga é o refúgio mais fácil. Isadora é o nome fictício de uma adolescente de 14 anos de idade, que já está grávida do namorado – também um menino de rua. Longe de casa, os dois lutam para abandonar o vício. Maconha, cocaína e crack. A dependência começou quando a garota tinha apenas dez anos. A equipe do Repórter Record localizou a mãe da menina e sugeriu um reencontro. Será que o apelo materno funciona?

Como age um assassino em série? Os repórteres conversam com o Maníaco da Cruz, um adolescente de 16 anos, que ficou conhecido por deixar os corpos de suas vítimas em posição de crucificação. Mente perturbada ou assassino impiedoso?

Fábrica de bandidos. Assim era conhecida a antiga FEBEM. Depois da reforma estrutural, o número de detentos diminuiu. Será que as internações na Fundação Casa servem para recuperar menores infratores? O Repórter Record visitou a unidade da Vila Maria, conhecida como uma das mais violentas, e mostra o cotidiano destes jovens.

Semanas sem visitas, tarefas pesadas e o abandono da família. Prisões autoritárias são a melhor solução para recuperar jovens rebeldes? Como funcionam os centros de detenção para menores no exterior? Os telespectadores da Record vão conhecer a rotina das prisões nos EUA e Inglaterra. Atrás das grades, jovens com histórias como a de Natalie, presa depois que a própria mãe a denunciou para a polícia. O motivo? Pegar o carro sem autorização.

E ainda: o garoto que, aos 12 anos, lidera uma gangue especializada em roubo de carros. Ele já foi detido mais de dez vezes, mas fugiu em todas.

Apresentado por Marcos Hummel, o Repórter Record vai ao às 23h.

Segunda-feira, 28/09, 00h15

CSI NY – Segunda Temporada

INÉDITO

CIDADE DAS BONECAS

Mac, Danny e Lindsay investigam a morte do dono de um hospital de brinquedos. Stella e Hawkes trabalham no caso da morte de uma mulher que tinha câncer.

TERÇA, DIA 29/09

ÍDOLOS: 24 candidatos encaram a fase Workshop

Depois de inúmeras audições na primeira fase e uma maratona de testes do Teatro, os jurados escolheram os melhores candidatos do Ídolos 2009.

O processo de seleção foi bastante difícil tanto para os candidatos como para o trio de jurados, que no programa do dia 23/09 tiveram que dar o veredicto final.

Ao todo, foram selecionados 24 participantes para a próxima fase – o Workshop. A partir desta etapa, o público terá participação fundamental, pois os jurados avaliam os cantores, mas o telespectador é quem decide quem continuará na competição. Os 24 serão divididos em um grupo formado por homens e outro por mulheres. Na primeira semana, os homens se apresentam e o público escolhe apenas os seis melhores para continuar na disputa. Na semana seguinte, o mesmo processo ocorre com as mulheres, e apenas seis ficam para a próxima fase.

Cada um vai cantar uma música, escolhida por eles, e todos serão acompanhados pela banda do programa. Ao final de toda apresentação, os jurados vão opinar sobre a performance de cada cantor.

O poder agora fica nas mãos do público.

Veja quem são os TOP 24 do ÍDOLOS:

Jésus Henrique de Souza, 24 anos, de Itabira/MG

Marcos Duarte, 25 anos, de Santa Quitéria/CE

Phelipe Carvalho Silva, 18 anos, de Fortaleza/CE

Diego Augusto do Vale Moraes, 23 anos, de Campinas/SP

Júlio Cesar Ferreira de Sousa, 21 anos, de Sapopemba/SP

Marcos Paulo Barros Gomes, 19 anos, de Manaus/AM

Maycon Cesar Moreira Balbino, 18 anos, de Chapadão do Sul/MS

Saulo do Amaral Freire Oliveira Souza, 20 anos, de São Paulo/SP

Cosme Motta de Lima, 24 anos, do Rio de Janeiro/RJ

Evandro Elias dos Santos, 25 anos, de Jacarezinho/RJ

Juceir Júnio Gomes de Amorim, 19 anos, de Saquarema/RJ

Leonardo Bruno Baptista, 22 anos, de São João de Meriti/RJ

Hélen Bitencourt da Silva Santos, 18 anos, de Curitiba/PR

Danielle Rodrigues de Morais, 25 anos, de Belo Horizonte/MG

Melina Marçal Moreira, 23 anos, de Belo Horizonte/MG

Natália Moraes Rodrigues, 19 anos, Fortaleza/CE

Bárbara Carolina Amorim Baptistão, 22 anos, de São Bernardo do Campo/SP

Priscila Borges da Silva, 26 anos, de São Vicente/SP

Suzane Barbosa Silva, 19 anos, de Praia Grande/SP

Thais Ferraz de Andrade Bonizzi, 19 anos, Barueri/SP

Mayara Ferreira Magalhães, 19 anos, de Cubatão/SP

Aline Moreira de Souza, 25 anos, Vicente Pires/DF

Taissa de Araujo Lobo, 24 anos, do Rio de Janeiro/RJ

Raquel da Silva Soares, 23 anos, de Itaguaí/RJ

Terça-feira, 29/09, 00h15

CSI Miami – Quarta Temporada

INÉDITO

CILADA

Os CSIs são chamados para investigar o assassinato de uma jovem que estava prestes a assinar os papéis de seu divórcio. O marido se torna o principal suspeito. O caso tem ainda um detalhe estranho: a arma do crime é um revólver de pregos. A investigação se complica mais quando um dos CSIs é atacado ao voltar da cena do crime e acaba tendo que ir ao hospital.

QUARTA, 30/09

Quarta-feira, 30/09, 00h15

House – Terceira Temporada

Feliz Natal

Wilson tenta fazer com que House e Tritter façam as pazes, porém House se recusa. Cuddy tira House do caso de uma garota de 15 anos que chegou ao hospital com problemas no pulmão e anemia.

SEXTA, 02/10

Sexta-feira, 02/10, 00h15

CSI Las Vegas – Sexta Temporada

INÉDITO

A BALA PERDIDA PARTE 1

A equipe precisa investigar a morte de um policial que morreu durante um tiroteio. Na cena do crime, ficaram muitas balas. O caso se complica quando descobre-se que Sofia Curtis e Jim Brass estavam com a vítima na hora do tiroteio. Uma evidência prova que a bala que matou o policial era de uma pessoa conhecida. Enquanto isso, Sofia tem dúvidas se foi ela quem atirou no amigo policial. Ela decide esconder o fato de que a vítima atravessou sua linha de fogo, com medo que isso estrague sua carreira.