Arquivo da categoria ‘Outro Canal’

TV deixa de ser o item mais importante entre os jovens

Apesar de ser o aparelho com maior penetração no Brasil, a TV perdeu o reinado entre os jovens. Pesquisa realizada pelo Ibope mostra que o meio deixou de ser o mais importante para a população jovem, considerada até 34 anos.

O estudo considera os hábitos de consumo de meios de comunicação. De acordo coma coluna Outro Canal, do jornal Folha de S.Paulo, o estudo apontou que, entre a faixa etária de 10 a 17 anos, o computador com internet é o item mais relevante, com 82% no ranking de prioridade. Em seguida estão a TV (65%) e o celular (60%).

Para a população de 18 a 24 anos, quem lidera o ranking é o celular com 78%, seguido por: computador ligado à rede (72%) e TV (69%). O grupo de 25 a 34 anos tem o celular como item mais importante (81%), depois aparecem: TV (73%) e computador (65%). A TV lidera a pesquisa com 77% de preferência, na média geral.

Segundo Dora Câmara, diretora comercial do Ibope, a pesquisa mostra que existe um processo de convergência, principalmente entre a população mais jovem, que possui mais capacidade para acomodar os meios de comunicação simultaneamente. “Metade dos jovens de 12 a 19 anos costuma acessar a internet enquanto veem TV ou ouvem rádio”.

Mesmo assim, 82% dos 800 entrevistados afirmou que prefere utilizar um meio de cada vez.

MTV prepara programas de verão e especiais para Copa

A MTV já está definindo as atrações para o ano que vem. Além da programação de verão, entre janeiro e fevereiro, que apostará no humor, o canal também tem novidades para a Copa do Mundo.
Para o verão, já está confirmado o novo programa “Alta Gastronomia de Camping”. Com apresentação de Bento Ribeiro e Fábio Rabin, em um formato definido pela emissora como “fake reality doc”, o programa pretende falar sobre comportamento masculino.
Os dois humoristas passarão o verão em uma barraca em Florianópolis, de onde só conseguirão ouvir uma estação de rádio apresentada pelo VJ Didi.
Raquel Affonso, gerente de programação da MTV, aposta na atração como o maior sucesso da temporada, com chance de entrar para a grade fixa, como aconteceu com o “Furfles” em 2009.
Outras atrações confirmadas são o “Lobão ao Mar” e o “MTV na Praia”, já apresentados em 2009. Marcelo Adnet segue como “15Minutos”, que sai do estúdio e será gravado nas ruas do rio de Janeiro.
Para a Copa do Mundo, um VJ irá à África do Sul, de onde apresentará um reality show com duração de no máximo 15 minutos. Além disso, o “Rock Gol” começa o ano já com o quadro “Momento Copa”, e um campeonato de futebol em vídeo game estreia em março.
Formado por 16 duplas, compostas de um artista e um espectador, o programa dará ao campeão a ida à África do Sul para ajudar a cobrir a Copa. “É a maior cobertura da MTV de uma Copa, sem os jogos da Copa”, brinca Raquel.

Outro Canal – Folha de SP


OUTRO CANAL: TV Globo omite nome e paga pechincha por “Cama de Gato”.

A TV Globo usou uma estratégia discreta para adquirir por um bom preço os direitos do nome “Cama de Gato”, que batiza sua próxima novela das 18h, cuja estreia está marcada para o dia 5 de outubro.

O título já havia sido usado em filme do diretor Alexandre Stockler, lançado em 2004, que tinha o ator Caio Blat em cena longa -e quase explícita- de estupro. Para evitar processos futuros, a emissora decidiu comprar os direitos da marca para a televisão.

O profissional que liderou a negociação falava em nome de uma sigla, sem revelar que “Cama de Gato” batizaria um de seus principais produtos. Dessa maneira, arrematou o título por algo em torno de R$ 15 mil. Uma inserção comercial de 30 segundos para veiculação nacional no intervalo da novela das 18h chega a custar perto de R$ 160 mil.

Procurado pela Folha, Stockler não quis comentar a venda. Já a Central Globo de Comunicação informou que “negocia dezenas de contratos do gênero e muitas vezes recorre a escritórios especializados”. Segundo a emissora, foi oferecido ao diretor um “valor compatível com o mercado, tanto assim que foi aceito”.

A novela será assinada por Thelma Guedes e Duca Rachid, sob supervisão de João Emanuel Carneiro e com direção de Ricardo Waddington. Segundo Carneiro, a novela se chamaria, inicialmente, “Pelo Avesso”, mas as autoras e a CGCom optaram pela alteração.

Na trama, Marcos Palmeira interpretará um homem de origem pobre que se torna frio e arrogante após subir na vida.

RECURSOS HUMANOS
A Record está em negociação avançada para a contratação dos humoristas Evandro Santo (o Christian Pior do “Pânico”, da Rede TV!) e Danilo Gentili (”CQC”, Band), para programa semanal que já tem Marcos Mion no elenco.

SATURDAY NIGHT LIVE
O próprio Mion participa da sedução dos novos contratados, para atração que deverá ser exibida aos sábados, às 22h.

INTERNET DO MILHÃO
O Ministério da Cultura autorizou captação de R$ 900 mil em renúncia de impostos para produzir um programa de vídeo para a internet. O projeto contemplado é o “Giramundo WebTV”, voltado a jovens.

MANUAL
Na terceira edição do reality show “Brazil’s Next Top Model”, da Sony, uma modelo ensina a se livrar das orelhas de abano nas fotos colando-as com cola Super Bonder. Na edição anterior, em 2008, a concorrente que fez o mesmo foi elogiada pelo perfeccionismo e ganhou o programa.

SE VIRA NOS 140
O grupo de teatro paulista Os Satyros tenta emplacar projeto na TV: uma série com 140 segundos, referência aos 140 caracteres das mensagens do Twitter. O “140 Cenas” terá 140 roteiristas, todos ligados ao microblog, que devem se inscrever com microcurrículos de 140 caracteres. O projeto ainda não tem emissora definida.

Coluna Outro Canal
Daniel Bergamasco (Interino)
Folha de São Paulo

Jornalista Daniel Castro é o novo contratado da Record

Em conversa com o jornalista Flávio Ricco, Daniel Castro disse que assinou um pré contrato com a emissora na noite de ontem e, nesta manhã, apresentou seu pedido de demissão ao Grupo Folha, onde atuou nos últimos 18 anos.

Desde 2001, Castro assinava a coluna Outro Canal, no caderno Ilustrada, do jornal “Folha de S.Paulo”.

Daniel Castro vai dirigir um programa de entrevistas do Gugu Liberato na Record News.

O jornalista assinava a coluna da Folha desde 2001. Agora, além da direção do programa na emissora de Edir Macedo, o profissional também terá espaço no R7, novo portal de notícias da Rede Record, que será lançado no dia 27/09.

No início do ano, a coluna de Castro travou um embate com a emissora, ao publicar informações sobre os bastidores da Record que a empresa considerou como “caluniosas”. No mês seguinte, a emissora chegou a oferecer R$ 24 mil para que o jornalista atuasse como gerente de Comunicação Social do canal. Na época, a Folha interpretou o convite como uma tentativa da Record de tirar do jornal um profissional que sempre trazia informações da emissora.

A Record ainda não anunciou oficialmente a contratação, mas fontes confirmam o acerto. Daniel Castro ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Vai atuar em produção e direção de programas jornalísticos, a começar pelo programa de entrevistas de Gugu na Record News. Ele também terá espaço no R7, novo portal de notícias que a Record lança no dia 27 de setembro.
De acordo com informações da Veja Online, Homero Salles e Gugu foram os responsáveis pela ida de Daniel Castro para Record.

Outro Canal: SBT vai a Brasília reclamar de invasão evangélica na TV
Folha de SP

Diretor de rede do SBT, Guilherme Stoliar foi ontem a Brasília para reclamar ao ministro Hélio Costa, das Comunicações, do avanço das igrejas, principalmente as evangélicas, sobre a programação das TVs.

Stoliar levou ao ministro um levantamento de todas as emissoras compradas ou arrendadas (parcial ou totalmente) por igrejas recentemente. Nos últimos anos, o SBT perdeu afiliadas para a Record, controlada pela Igreja Universal. Neste ano, ficou sem sinal em Cuiabá (MT) porque sua afiliada migrou para a Band após esta ter a sua parceira local arrendada para a mesma igreja que ocupa quase toda a grade da Rede 21 (do grupo Bandeirantes).

O executivo do SBT quer saber do Ministério das Comunicações se é legal ou ilegal o arrendamento de programações, parcial ou totalmente, por igrejas. Há um mês, em almoço com jornalistas, Stoliar afirmou que “vender horário na TV, seja para igreja ou para programa de vendas, é contra a lei”, conforme registrou a coluna “Ooops”, do UOL.

Stoliar se baseou no decreto 52.795/1963, que disciplina as operações de rádio e TV. O decreto afirma que as programações têm de ter “finalidade educativa e cultural” e que as emissoras não podem vender mais de 25% de seus espaços. Na Record, por exemplo, só a Igreja Universal, em cinco horas diárias, ocupa 21% do espaço.

O Ministério das Comunicações e a Band não comentaram o assunto. A Record afirmou não ter “nada a dizer”. A Rede TV!, que também vende horários, disse que não existe “impedimento legal”.

Assédio 1

Amaury Jr. tem recebido ligações frequentes de Alexandre Raposo e Walter Zagari, respectivamente presidente e vice-presidente da Record. A emissora quer o apresentador da Rede TV! ancorando um programa vespertino.

Assédio 2

O contrato de Amaury Jr. com a Rede TV! vence em novembro. Ele tem reclamado que seu programa entra no ar muito tarde, mas teme a competição vespertina na Record.

Sexo é Vida
A Globo não vai esperar 2010 para dar um “up” em “Amor e Sexo”, que vem marcando 18 pontos. Deverá esticar a atual temporada, que teria cinco episódios, em mais três sextas.

Padrão Q
Exibido mais de quatro horas após o término do Grande Prêmio de Monza, na Itália, o “Globo Notícia” de anteontem noticiou a vitória de Rubens Barrichello com imagens do GP de Valência, na Espanha, disputado três semanas antes.

Praga de Pastor

Márcio Garcia, que no começo de “Caminho das Índias” era protagonista, terminou a novela sem direito a uma única fala no último capítulo, como se fosse um figurante de luxo.

Magreza
Em reunião com diretores de núcleo, Manoel Martins, diretor-geral de Entretenimento da Globo, disse que só tem vagas para dois ou três novos especiais de fim de ano. (Daniel Castro)

TVs reprisam gol nº 1 de Ronaldo 269 vezes

Publicado: 27 de março de 2009 em Outro Canal
OUTRO CANAL
Daniel Castro

TVs reprisam gol nº 1 de Ronaldo 269 vezes
O primeiro gol de Ronaldo no Corinthians, marcado contra o Palmeiras, foi exibido 272 vezes na TV brasileira apenas no dia em que ocorreu, 8 de março. Foram três aparições em tempo real (na Globo, Band e SporTV) e outras 269 reprises.
O gol de Ronaldo foi um fenômeno. Um gol “normal”, como o anotado por Dentinho no último domingo, contra o Santos, teve 145 exibições. A cabeçada de Ronaldo ocupou 28 minutos na TV, o dobro da de Dentinho.
Os dados são da Informídia, empresa que mede o retorno da exposição de marcas na mídia e que tem como clientes TVs, federações e patrocinadores.
A Band foi a emissora que mais reprisou o gol número 1 de Ronaldo no Corinthians. Foram 70 vezes no dia 8, em 7 minutos e 43 segundos. Já o gol de Dentinho teve “só” 26 reprises.
A Globo, que reprisou o gol de Ronaldo até no “Domingão do Faustão”, mostrou o lance 39 vezes em 3 minutos e 47 segundos. Na emissora, o gol de Dentinho teve 24 aparições em 1 minuto e 36 segundos.
Ao todo, a TV aberta exibiu Ronaldo 178 vezes, contra 76 de Dentinho. A TV paga mostrou o gol do Fenômeno 94 vezes, contra 69 de Dentinho.
De acordo com a Informídia, a contratação de Ronaldo aumentou o valor de exposição do Corinthians na TV. Em janeiro, o time ocupou, somente em reportagens, espaço que valeria R$ 77 milhões, 55% a mais do que em janeiro de 2008.

RAIO 1
O SBT está exibindo chamadas em que convida o telespectador a votar em qual novela da Manchete ele gostaria de rever. Mas essa novela já está escolhida. Será “A História de Ana Raio e Zé Trovão” (1990/91).

RAIO 2
Por enquanto, “Ana Raio” é a única que o SBT tem autorização dos autores (Rita Buzzar e Marcos Caruso). Ainda tenta “Dona Beija” (1986). Queria “Carmem “(1987), mas a autora, Glória Perez, não autorizou porque, no ar na Globo, não quer concorrer com ela mesma.

RAIO 3
O SBT não seguiu esse ritual ao programar “Pantanal” e corre o risco de ser condenada na Justiça a repassar ao autor Benedito Ruy Barbosa tudo o que arrecadou com a exibição.

ECONOMIA
Galvão Bueno e Reginaldo Leme farão as transmissões dos três primeiros GPs de Fórmula 1 deste ano diretamente de estúdios da Globo. Por causa do fuso horário, não viajarão para Austrália, Malásia e China. A emissora só enviará repórter.

REPLAY
O Multishow reprisará no dia 15 o show da banda Radiohead, realizado domingo em São Paulo. Mas, por contrato, só poderá mostrar 70 minutos.

KAMA SUTRA
Deu certo a estratégia da Globo de exibir a primeira noite de amor de Raj (Rodrigo Lombardi) e Maya (Juliana Paes) justo na estreia de “Promessas de Amor”. A novela da Record deu 12 pontos em SP, contra 37 de “Caminho das Índias”. Foi o pior início da série “Mutantes”. http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq2603200904.htm

Presidente da TV Cultura rebate as acusações de secretário

DANIEL CASTRO
da Folha de S.Paulo

O jornalista Paulo Markun, presidente da Fundação Padre Anchieta, afirma que audiência é importante, sim, para a emissora, mas não é tudo.

“A gente tem uma programação diferenciada, deve levar em consideração o alcance social daquilo que produz. Não estou me furtando a discutir o assunto, mas nosso foco não é só audiência”, diz.

Ele nega que não haja preocupação com audiência. Diz que o assunto é estudado e debatido diariamente.

“Não faz sentido fazer TV para ninguém.” Markun enfatiza que a baixa audiência não é um problema exclusivo da TV Cultura, mas de várias emissoras públicas que não seguem lógica comercial, como a PBS, dos EUA.

Ele avalia que a Cultura apresenta “um bom resultado” na relação custo-benefício e que “está acima da média no que diz respeito a gastar bem o dinheiro”. Segundo Markun, a emissora custa 50 vezes menos do que a Globo, mas sua audiência é só 17 vezes menor.

O executivo apresenta dados de audiência que mostram “que não houve uma derrocada”. Em 20 anos, a média anual oscilou de 0,7 a 2,9 pontos.

O jornalista refuta a afirmação do secretário Lobo de que a emissora é usada como “laboratório” de programação.

“Não é verdade. Acho que a gente tem que ter uma fase de experiência, sim. Mas não são experiências ditadas por quem está na diretoria de programação. Ao contrário, eu eliminei isso”, afirma.

Markun também nega haver entra-e-sai de programas e falta de critérios para isso. “No ano passado, nós entramos com novos programas, mas a redução foi muito pequena.”

Por fim, devolve as críticas a Lobo, que, enfatiza, não representa no conselho o governo do Estado, mas a sociedade civil. “O conselheiro talvez devesse acompanhar mais de perto a programação.”