Arquivo da categoria ‘Cinema’

‘Guerra ao Terror’ é o grande vencedor do Oscar 2010
Por Redação Yahoo! Brasil
Com seis estatuetas, “Guerra ao Terror” foi o grande vencedor do Oscar 2010. O longa venceu as principais categorias da 82ª edição da maior festa do cinema mundial, realizada no Teatro Kodak, em Los Angeles, incluindo as de melhor filme e direção para Kathryn Bigelow, a primeira mulher a levar o prêmio.
O longa sobre uma unidade antibombas do exército norte-americano no Iraque também levou as estatuetas de melhor roteiro original, montagem, som e edição de som. “Eu gostaria de dedicar isto às mulheres e aos homens no serviço militar que arriscam suas vidas diariamente no Iraque, Afeganistão e ao redor do mundo”, disse Bigelow.
Já o principal concorrente do filme, “Avatar”, acabou vencendo apenas em categorias técnicas. O blockbuster em 3D de James Cameron – ex-marido de Bigelow – foi premiado por efeitos visuais, fotografia e direção de arte.
Um dia depois de levar o trófeu Framboesa de Ouro de pior atriz por “Maluca Paixão”, Sandra Bullock recebeu o Oscar de melhor atriz, por sua performance em “Um Sonho Possível”. A atriz dedicou o prêmio às “mães que cuidam de seus bebês e crianças independentemente de onde eles vieram”.
Grande favorito, Jeff Bridges sagrou-se o melhor ator. Fortemente aplaudido, Bridges fez um discurso emocionado. “Obrigado mãe e pai por terem me levado para uma profissão tão bacana”, disse.
Entre os coadjuvantes, o ator austríaco Christoph Waltz venceu por “Bastardos Inglórios, enquanto a comediante Mo’Nique ganhou uma estatueta por “Preciosa”.
Na categoria de melhor filme estrangeiro, o argentino “O Segredo de Seus Olhos” desbancou o favorito “A Fita Branca”. Já a produção da Pixar “Up – Altas Aventuras” foi premiado como a melhor animação.
Apresentada por Steve Martin e Alec Baldwin, a cerimônia deste ano foi marcada pelo ritmo acelerado. Dono de um dos melhores momentos da noite, o ator Ben Stiller arrancou risadas ao parodiar o filme “Avatar” durante a entrega da estatueta de melhor maquiagem, que ficou com “Star Trek”.
Entre as homenagens, os atores Matthew Broderick e Molly Ringwald lembraram a carreira do falecido diretor John Hughes, famoso por seus filmes adolescentes na década de 1980. Já os atores Kristen Stewart e Taylor Lautner, protagonistas da “Saga Crepúsculo”, celebraram os filmes de terror.
Com Reuters
Lista de vencedores da 82ª edição do Oscar
Los Angeles (EUA), 7 mar (EFE).- Lista de vencedores da 82ª edição do Oscar, prêmio distribuído pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood.
– Filme: “Guerra ao Terror”.
– Diretor: Kathryn Bigelow (“Guerra ao Terror”).
– Ator: Jeff Bridges (“Coração Louco”).
– Atriz: Sandra Bullock (“Um Sonho Possível”).
– Ator Coadjuvante: Christoph Waltz (“Bastardos Inglórios”).
– Atriz Coadjuvante: Mo’Nique (“Preciosa – Uma História de Esperança”).
– Filme Estrangeiro: “O Segredo dos Seus Olhos” (Argentina).
– Animação: “Up – Altas Aventuras”.
– Roteiro Original: Mark Boal (“Guerra ao Terror”).
– Roteiro Adaptado: Geoffrey Fletcher (“Preciosa – Uma História de Esperança”).
– Documentário: “The Cove”.
– Curta de Animação: “Logorama”.
– Documentário de Curta-Metragem: “Music by Prudence”.
– Curta-Metragem: “The New Tenants”.
– Trilha Sonora Original – “Up – Altas Aventuras”.
– Canção Original: “The Weary Kind” (“Coração Louco”).
– Direção de Arte: “Avatar”.
– Efeitos Visuais: “Avatar”.
– Fotografia – “Avatar”.
– Edição de Som: “Guerra ao Terror”.
– Mixagem de Som: “Guerra ao Terror”.
– Maquiagem: “Star Trek”.
– Figurino: “The Young Victoria”.
– Montagem: “Guerra ao Terror”. EFE

Cameron e Globo de Ouro são os grandes derrotados do Oscar
Por Dean Goodman
LOS ANGELES (Reuters) – Há 12 anos, James Cameron se declarou “rei do mundo” ao ganhar o Oscar de melhor filme por “Titanic”. Sua expectativa de bis com “Avatar” este ano foi estragada por “Guerra ao Terror”, filme de baixo orçamento ambientado no Iraque e dirigido por sua ex-esposa Kathryn Bigelow.
Ambos os filmes tinham nove indicações, inclusive as de melhor filme e melhor diretor. “Guerra ao Terror” ganhou as duas e outras quatro estatuetas na cerimônia da noite de domingo. “Avatar” terminou com três prêmios, todos em categorias técnicas. Cameron, indicado pessoalmente em três categorias, saiu de mãos abanando.
Outro grande derrotado foi “Amor Sem Escalas”, cujo protagonista, George Clooney, não escondeu sua expressão de enfado por ver o filme ser esnobado nas seis categorias em que concorria.
Um grande derrotado da noite também foi o prêmio Globo de Ouro, muitas vezes considerado uma prévia do Oscar. Em janeiro, os cerca de 80 integrantes da Associação da Imprensa Estrangeira de Hollywood concederam os troféus de melhor drama e direção a “Avatar”.
Já o Prêmio Escolha da Crítica, que reúne cerca de 240 críticos de rádios, TVs e sites dos EUA e Canadá, manteve sua sintonia com a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que concede o Oscar. Nos últimos dez anos, oito filmes e sete diretores premiados repetiram a dose no Oscar.
“Se você quer ganhar um Oscar, a primeira coisa a fazer é ganhar o Escolha da Crítica”, disse Joey Berlin, presidente da associação de críticos, à Reuters. “Somos profissionais do cinema, e é uma amostra grande o suficiente para dizer o que outros profissionais do cinema irão dizer.”
“Bastardos Inglórios”, que tinha oito indicações, acabou apenas com o prêmio de melhor ator coadjuvante, para o austríaco Christoph Waltz, no sinistro papel de um caçador de judeus.
O diretor Quentin Tarantino era uma boa aposta para o prêmio de melhor roteiro original, que acabou ficando mesmo com “Guerra ao Terror”. O prêmio de melhor roteiro adaptado foi para “Preciosa.”
“Distrito 9” e “Nine”, que reuniam quatro indicações, também terminaram a noite de mãos vazias.
Oscar 2010 marca nova era 
(BR Press) – Apesar de ser referência de glamour pelo o que as celebridades vestem ao atravessar o tapete vermelhor a cada ano, a Academia este ano não se concentrou tanto e somente no glamour. Ao invés, investiu bem mais em comédia e em quebras de paradigmas – apesar de ter mantido, para não desviar tanto do tradicional, uma certa dose da já costumeira politicagem. Tanto que o filme sobre o Iraque, Guerra ao Terror (The Hurt Locker, EUA, 2008) levou seis das nove estatuetas às quais foi indicado, incluindo Melhor Filme e Melhor Direção – batendo impiedosamente Avatar, que teve de se contentar com premiações em três das também nove categorias às quais concorria, todas relacionadas ao visual do filme.
Afogando águas vivas
Para começar, a apresentação de Steve Martin e Alec Baldwin trouxe para o palco da festa do Oscar deste ano uma atmosfera de piadas inteligentes, relevantes e divertidas (mesmo que nem sempre politicamente corretas). Incrível a perspicácia dos dois atores. Um dos momentos memoráveis foi quando Martin fez uma mímica de que tinha uma lata de veneno contra insetos em seu poder, aniquilando, sem dó, as espécies que mais se pareciam com águas-vivas flutuando no ar, ao redor dele (referências ao filme Avatar).
Durante o divertido discurso de abertura com os dois comediantes, George Clooney, antes de ser “atacado”, fez questão de, através de um simples olhar, mostrar que não estava em um dia de muitos amigos. Já Meryl Streep foi a que mais sofreu com as piadinhas durante a cerimônia – mantendo sempre seu (aparentemente) bom-humor e elegância. Steve e Alec fizeram questão de (re)lembrá-la de seu “eterno egoísmo” ao estar abocanhando, pela 16ª. vez, a indicação de melhor atriz. A estatueta, no final das contas, foi para Sandra Bullock, em Um Sonho Possível (The Blind Side, EUA, 2009).
Nem Kathryn Bigelow e James Cameron foram poupados – seja por terem sido concorrentes em nove categorias com seus respectivos filmes Guerra ao Terror e Avatar (EUA, 2009), seja por terem sido, um dia, um casal. A dupla dinâmica de comediantes ainda sugeriu que, ao ser indicado, Cameron recebeu de sua ex-mulher, um presente de parabenização: uma cesta de café da manhã com um cronômetro (fazendo referência ao desarmamento de bombas, que é a ocupação do personagem central de seu filme).
Primeira mulher
Na guerra entre os favoritos da noite, a derrota da megaprodução Avatar para um filme praticamente independente que só é possível ser assistido em vídeo, supreendeu, sem dúvida. Kathryn Bigelow – primeira mulher a conquistar a premiação nesta categoria na história do Oscar – também levou o principal prêmio da noite: Melhor Filme, além de Melhor Roteiro Original (do polêmico Mark Boal), Melhor Mixagem e Edição de Som e Melhor Montagem.
Mark Boal quase fora banido da festa da Academia ou, pelo menos, de subir ao palco para receber o prêmio caso ganhasse (e ganhou com melhor roteiro original), por dois motivos: primeiro porque está sendo processado pelo sargento Jeffrey S. Sarver, por ele acreditar que o roteirista tenha se baseado na história de sua vida para escrever o filme, segundo Geoffrey Fieger, advogado do militar.

E-mail
Outro motivo que deixou o roteirista na corda-bamba foi o fato de ele ter enviado um email a colegas de profissão no qual pedia que votassem em Guerra ao Terror na categoria de Melhor Filme – contrariando algumas das várias regras da Academia no que se diz respeito aos indicados (por exemplo, que não está permitida qualquer forma de comunicação que tente promover um filme concretamente fazendo comparações negativas em relação a outros). O co-produtor de Guerra ao Terror mandou outro email aos membros da Academia pedindo desculpas.
Preciosa
Para quem acompanhou a cerimônia pela TNT (que estava com um atraso de aproximadamente 15 segundos em comparação à transmissão da Rede Globo) foi possível ver a entrevista que a atriz Mo’Nique concedeu ao canal, dizendo que na verdade, o filme em que atua – Preciosa (Precious, EUA, 2009), pelo qual ganhou, merecidamente por sua atuação brilhante, o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante – foi feito com a intenção de poder compartilhar uma mensagem de esperança e amor a muitas pessoas que se sentem rejeitadas e deslocadas diante do sofrimento da vida. “Caso o filme tenha conseguido mudar uma vida somente, esse já seria maior prêmio que todos que participaram dele poderiam ganhar”, disse Mo’Nique, que também elogiou muito a protagonista Gabourey Sidibe.
Ao receber seu prêmio, Mo’Nique foi bastante enfática ao agradecer à Academia por premiar o que era mais correto – “e não o que era mais popular”. Seu discurso foi conciso, porém tão intenso quanto a sua atuação. Preciosa ainda levou o Oscar de Melhor Roteiro Adaptado.
Uma das mais visíveis mudanças determinadas pela Academia neste ano foi o fato de os vencedores serem anunciados com a frase “And the winner is… (E o vencedor é…)” ao invés do tradicional “And the Oscar goes to… (E o Oscar vai para…)” – o que foi religiosamente seguido por todas as celebridades que ocuparam o palco na apresentação de todos os contemplados – exceto Kate Winslet, que disse a frase- chavão.
Dentre os momentos mais interessantes da noite, destacou-se a aparição do eterno garoto porém quase 100% sumido McCauley Culkin, na homenagem prestada a John Hughes (1950-2009), cineasta cultuado dos anos 80 e 90 com filmes clássicos como A Garota de Rosa-Choque, Curtindo a Vida Adoidado e Esqueceram de Mim, e a homenagem aos grandes clássicos de filmes de terror, como por exemplo O Exorcista, Poltergeist, O Iluminado, O Brinquedo Assassino, Drácula e Tubarão.
E Farrah Fawcett?
Uma grande falha que a Academia cometeu, com ou sem intenção, foi no momento em que Demi Moore subiu no palco do Kodak Theater para apresentar uma homenagem “in memoriam” a artistas consagrados que já partiram. Durante a apresentação, James Taylor tocava seu violão acústico. Até aí, tudo bem. Interessante até. Foram citados vários artistas, diretores e cineastas antigos, da época em que os filmes eram feitos em P&B, como Jennifer Jones e Roy Disney… Foram citados também Patrick Swayze, David Carradine, Brittany Murphy, Michael Jackson. Mas porque não incluiram Farrah Fawcett? Ela está até no site do Oscar, na galeria de ‘Tapetes Vermelhos’ do passado.
Premiações e pessoas
Dentre os acertos, há de serem louvadas as premiações de Christoph Waltz, como Melhor Ator Coadjuvante por Bastardos Inglórios, o francês Logorama, melhor animação curta-metragem, que conforme seu diretor François Allaux é “uma perseguição desenfreada com o uso indevido de três mil logomarcas/patrocinadores não-oficiais do mundo inteiro”, e a de Melhor Filme Estrangeiro, para o argentino O Segredo de Seus Olhos (sendo que o favorito era o alemão A Fita Branca).
A imagem de Pedro Almodóvar e Quentin Tarantino juntos no palco, com trilha sonora de Fellini, também será memorável. Oprah Winfrey apresentando e tecendo elogios à atriz negra, obesa e estreante Gabourey Sidibe também emocionou. As emoções só não foram maiores porque a Academia adora um prêmio de consolação vez ou outra… Seja para um veterano que planeje o final de sua carreira com chave de ouro, como no caso de Jeff Bridges, que ganhou o Oscar de Melhor Ator por Coração Louco, seja uma bela mulher de 45 anos com sua primeiríssima indicação após atuar em 40 filmes, como foi o caso de Sandra Bullock.
Mas, para a cerimônia toda fechar com chave de prata (ouro somente se tudo fizesse justiça à realidade), Steve Martin optou por parabenizar Kathryn Bigelow pelos dois maiores prêmios da noite e citar que, a partir de então, o tecnológico e caro Avatar “já era coisa do passado”.
(Eliane Maciel/Especial para BR Press)
Campanella diz que vencer Oscar “parece mentira”
Los Angeles (EUA), 8 mar (EFE).- O argentino Juan José Campanella, diretor do vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro “O Segredo dos Seus Olhos”, afirmou hoje que levar o prêmio “parece mentira”.
“Quando você sobe no palco, tem a sensação de atordoamento, na realidade como com qualquer prêmio”, afirmou o cineasta em entrevista coletiva. “Mas acho que amanhã me levantarei para beber água e me surpreenderei ao ver a estatueta”, completou.
“O Segredo dos Seus Olhos” desbancou o alemão “A Fita Branca”, de Michael Haneke, considerado o grande favorito da categoria, para receber o prêmio das mãos dos cineastas Pedro Almodóvar e Quentin Tarantino.
Para Campanella, receber o Oscar das mãos de Almodóvar foi “um orgulho duplo”. “O conheci no sábado, muito gente boa”, disse.
Também brigavam pela estatueta de Melhor Filme Estrangeiro o israelense “Ajami”, o peruano “O Leite da Amargura” e o francês “O Profeta”.
O brasileiro “Salve Geral”, de Sérgio Rezende, foi o escolhido para representar o país no Oscar, mas não ficou entre os finalistas selecionados para disputar a estatueta.
Como reconheceu o diretor argentino, o prêmio dará um empurrão especial ao filme.
“Abre portas inclusive em países onde já estava vendido. Agora o lançamento será diferente”, comentou.
Foi o segundo Oscar na categoria vencido por um filme argentino. A primeira vez havia sido com “A História Oficial”, de 1985. EFE
Anúncios
Estúdio quer adaptar aventuras de MacGyver para o cinema

Últimas de Cinema & DVD

 O projeto já foi aprovado e será realizado pela Raffaella Productions, empresa da filha do produtor Dino De Laurentiis, em colaboração com Lee Zlotoff, criador da série.

O filme ainda está em processo de pré-produção, e os produtores estão atrás de um roteirista capaz de retomar a essência do bem-sucedido programa protagonizado por Richard Dean Anderson entre 1985 e 1992.

A carreira do ator foi marcada pelo personagem MacGyver, a quem interpretou também em dois filmes feitos para a televisão após o fim da série. No entanto, anos depois Anderson participou de projetos de sucesso, entre eles Stargate: Atlantis.

“Pensamos que estamos a um chiclete, um alfinete e uma lista de roteiristas de primeira linha de obter uma franquia global”, disse Richard Brener, diretor de produção da New Line, que supervisionará o projeto junto com Sam Brown e Walter Hamada.

Com informações da EFE.

Redação Terra
http://cinema.terra.com.br/interna/0,,OI3637990-EI1176,00-Estudio+quer+adaptar+aventuras+de+MacGyver+para+o+cinema.html

E você leitor o que acha da volta do MacGyver?

‘Slumdog Millionaire’ é o grande vencedor do Globo de Ouro

Por Bob Tourtellotee

BEVERELY HILLS (Reuters) – O filme “Slumdog Millionaire” foi o grande vencedor do Globo de Ouro, no domingo, levando quatro prêmios, incluindo Melhor Drama – o que lhe dá força para o Oscar, que acontece em fevereiro.

“Slumdog” trata da vida de um jovem indiano em busca do amor, competindo por dinheiro em um programa de televisão. Danny Boyle, diretor do filme, foi agraciado Melhor Diretor; Simon Beaufoy ganhou Melhor Roteiro e o compositor A.R Rahman levou Melhor Trilha Sonora.

Boyle agradeceu à Associação da Mídia Estrangeira em Hollywood, responsável pelo prêmio, pelo apoio ao seu filme, que se passa em Mumbai.

“Sua afeição louca e pulsante por nosso filme é muito, muito apreciada”, disse Boyle. “O filme foi feito com o coração, de verdade. Nunca esperávamos estar aqui”.

“Vicky Cristina Barcelona”, de Woody Allen, levou o prêmio de Melhor Musical ou Comédia, mas Allen não compareceu à premiação.

A grande surpresa da noite foi para a atriz Kate Winslet, que levou dois Globos de Ouro – é a terceira vez na história do prêmio que uma pessoa obtém dois prêmios de atuação ao mesmo tempo.

Ela recebeu o prêmio de Melhor Atriz em um drama, por “Revolutionary Road”, no qual faz o papel de uma dona de casa frustrada, e o de Melhor Atriz Coadjuvante por “The Reader”, no qual é uma alemã com um segredo no passado.

“Isso é inacreditável, absolutamente inacreditável. Não era para acontecer”, disse Winslet nos bastidores, após ganhar os prêmios.

Mickey Rourke, que voltou à ativa depois de sua carreira passar por dificuldades, ganhou o prêmio de Melhor Ator por “The Wrestler”. “A estrada de volta foi longa para mim”, disse Rourke.

O ator Heath Ledger, morto no ano passado de overdose acidental, levou o prêmio de Melhor Ator Coadjuvante por “Batman – O cavaleiro das trevas”, no qual ele faz o papel do vilão Coringa.

O diretor do filme, Christopher Nolan, recebeu o prêmio por Ledger. Ele disse que a perda do ator fez “um buraco no cinema moderno”.

“Todos nós que trabalhamos com Heath aceitamos este prêmio com uma mistura de tristeza e orgulho incrível”, disse o diretor. “Ele vai fazer falta eternamente, mas nunca será esquecido”.

O Globo de Ouro também premia programas de TV. “Mad Men” foi escolhida a melhor série de drama, enquanto “30 Rock” recebeu o prêmio de Melhor Comédia Televisiva. Os atores Tina Fey e Alec Baldwin, protagonistas da série, levaram os prêmios de Melhor Atriz e Ator em Comédia Televisiva.

Confira a lista completa de vencedores do Globo de Ouro:

FILMES

MELHOR FILME – DRAMA

“Slumdog Millionaire”

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL

“Vicky Cristina Barcelona”

MELHOR ATRIZ EM UM FILME – DRAMA

Kate Winslet, “Revolutionary Road”

MELHOR ATOR EM UM FILME – DRAMA

Mickey Rourke, “The Wrestler”

MELHOR ATRIZ EM UM FILME – COMÉDIA/MUSICAL

Sally Hawkins, “Happy-Go-Lucky”

MELHOR ATOR EM UM FILME – COMÉDIA/MUSICAL

Colin Farrell, “In Bruges”

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Kate Winslet, “The Reader”

MELHOR ATOR COADJUVANTE

Heath Ledger, “The Dark Knight”

MELHOR DIRETOR

Danny Boyle, “Slumdog Millionaire”

MELHOR ANIMAÇÃO

“WALL-E”

MELHOR ROTEIRO

Simon Beaufoy, “Slumdog Millionaire”

MELHOR FILME ESTRANGEIRO

“Waltz with Bashir” (Israel)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL

“The Wrestler” Bruce Springsteen

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL

A.R. Rahman “Slumdog Millionaire”

TELEVISÃO

MELHOR SÉRIE DRAMÁTICA

“Mad Men”

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA

“30 Rock”

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DRAMÁTICA

Anna Paquin, “True Blood”

MELHOR ATOR EM SÉRIE DRAMÁTICA

Gabriel Byrne, “In Treatment”

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA

Tina Fey, “30 Rock”

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA

Alec Baldwin, “30 Rock”

MELHOR MINISSÉRIE OU FILME PARA A TV

“John Adams”

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU FILME PARA A TV

Laura Linney, “John Adams”

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIES OU FILME PARA A TV

Paul Giamatti, “John Adams”

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME PARA TV

Laura Dern, “Recount”

MELHOR ATOR CODAJUVANTE EM SÉRIE, MINISSÉRIES OU FILME PARA TV

Tom Wilkinson, “John Adams”

Agência Estado

A Comissão de Educação do Senado aprovou hoje o projeto da senadora Marisa Serrano (PSDB-MS) que regulamenta a meia-entrada em casas de espetáculo, cinemas, shows artísticos, culturais e esportivos. A regra vale para estudantes e idosos com mais de 60 anos de idade. O projeto restringe a emissão da carteira de estudante apenas para matriculados em ensino regular e impõe uma cota de 40% de meia-entrada por espetáculo. O projeto combate a indústria de carteiras de estudante falsas que proliferou no País desde 2001, quando foi permitida a emissão de carteira por qualquer entidade, sem a necessidade de comprovação do estudante.

O projeto também cria o Conselho Nacional de Fiscalização, Controle e Regulamentação da Meia-Entrada e de Identificação Estudantil, que será vinculada à Secretaria-Geral da Presidência da República. A sessão de votação, na Comissão, foi prestigiada por artistas e produtores. Entre eles estavam Christiane Torloni, Wagner Moura e Beatriz Segall.

Os artistas vinham reclamando do prejuízo nos shows e espetáculos com o derrame das carteiras de estudante falsas, que chegavam a ocupar 80% dos espetáculos, obrigando a elevação do preço do ingresso para os não-estudantes. O projeto segue agora para o plenário do Senado e, se aprovado, seguirá para a Câmara. Caso não ocorra alteração, será encaminhado depois para a sanção presidencial. A expectativa é de que o projeto só entrará em vigor no primeiro semestre de 2009.

Comissão do Senado aprova projeto da meia-entrada

A famosa animação dos anos 80 deve chegar às telonas em breve em todo o mundo.
CIDADE VERDE

Criaturas azuis de Os Smurfs
vão estrear na tela grande

A famosa animação dos anos 80, Os Smurfs, que já foi exibida no Brasil à exaustão pela Rede Globo e o Cartoon Network, deve se transformar em filme em breve, segundo informações do site MovieWeb.

A Columbia Pictures e a Sony Pictures Animation adquiriram os direitos da série para transformá-la em uma animação surreal. Os estúdios envolvidos não confirmaram se a empreitada fará uso de atores reais para viver os personagens azuis.

Jordan Kerner (Charlotte´s Web) vai assinar a produção do longa. David Stem e David Keiss, que ajudaram a compor a segunda e a terceira parte de Shrek, negociam participar do argumento.

Criado em 1957 pelo cartunista belga Pierre Culliford, Os Smurfs tornaram-se populares por meio de uma série em quadrinhos, que também já foi comercializada no Brasil na década de 80. Foi com o desenho animado, porém, que os personagens ficaram conhecidos no resto do mundo.

Nos Estados Unidos, a franquia Smurfs permanece ativa até hoje, com venda de bonecos, jogos educativos, livros e roupas inspiradas na série.
Fonte: Terra


LONDRES (AFP) – Um jovem de 21 anos compareceu nesta terça-feira perante um tribunal londrino, acusado de matar um ator adolescente que fazia parte do elenco do próximo filme da saga “Harry Potter”.

Karl Bishop, nascido no sudeste da Inglaterra, é acusado pelo assassinato de Rob Knox, 18 anos, numa briga na porta de um bar no sábado passado na capital inglesa.

Os magistrados ordenaram que ele permanecesse sob custódia após ter comparecido perante a Justiça.

Outros cinco jovens, de entre 16 e 21 anos, foram hospitalizados depois da briga, com ferimentos feitos a faca. Bishop também é acusado de tê-los ferido.

Knox tinha acabado de concluir sua participação na filmagem de “Harry Potter e o Mistério do Príncipe”, no qual interpreta o estudante Marcus Belby. O filme tem a estréia prevista para novembro deste ano.

Com este homicído, sobe para 14 o número de jovens mortos violentamente este ano em Londres.

da Folha Online

Confira abaixo a lista completa dos premiados no Grande Prêmio Vivo do Cinema Brasileiro. O grande vencedor do evento foi o filme “Tropa de Elite”, que angariou nove categorias. “O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias” foi outro destaque, levando o prêmio de melhor filme.

Melhor longa-metragem de ficção
“O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias”

Melhor direção
José Padilha, por “Tropa de Elite”

Melhor atriz
Hermila Guedes, em “O Céu de Suely”

Melhor ator
Wagner Moura, em “Tropa de Elite”

Melhor atriz coadjuvante
Sílvia Lourenço, em “O Cheiro do Ralo”

Melhor ator coadjuvante
Milhem Cortaz, em “Tropa de Elite”

Melhor direção de arte
Cássio Amarante, por “O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias”

Melhor direção de fotografia
Lula Carvalho, por “Tropa de Elite”

Melhor figurino
Kika Lopes, por “Zuzu Angel”

Melhor roteiro original
Heitor Dhalia e Marçal Aquino, por “O Cheiro do Ralo”

Melhor maquiagem
Martin Macias Trujillo, por “Tropa de Elite”

Melhor roteiro adaptado
Cláudio Galperin, Cao Hamburger, Bráulio Mantovani e Anna Muylaert, por “O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias”

Melhor montagem de ficção
Daniel Rezende, por “Tropa de Elite”

Melhor longa-metragem documentário
“Santiago”, de João Moreira Salles

Melhor montagem documentário
Eduardo Escorel e Livia Serpa, por “Santiago”

Melhor trilha sonora
“Cartola Música para os Olhos”

Melhor som
Leandro Lima, Alessandro Laroca e Armando Torres Jr., em “Tropa de Elite”

Melhor efeito especial
Phil Neilson e Bruno van Zeebroeck, por “Tropa de Elite”

Melhor longa de animação
“Wood & Stock – Sexo, Orégano e Rock’n’Roll”, de Otto Guerra

Melhor curta-metragem de ficção
“Beijo de Sal”, de de Fellipe Barbosa

Melhor curta-metragem documentário
“A Cidade e o Poeta”, de Luelane Corrêa

Melhor curta-metragem animação
“Vida Maria”, de Márcio Ramos

Melhor longa-metragem nacional
“Tropa de Elite”

Melhor filme estrangeiro (escolha do público)
“Pequena Miss Sunshine”

Melhor filme estrangeiro
“A Vida dos Outros”, de Florian Henckel Von Donnersmarck

Personalidade do Cinema Brasileiro
Renato Aragão