Arquivo da categoria ‘Humor’

Quinta: Será que o amor tem prazo de validade?
 ‘A Noite Perfeita’ 

No episódio de A Grande Família que vai ao ar nesta quinta, dia 08/09, alguns problemas amorosos atormentam a família Silva. Os casais entram em crise e não sabem distinguir o que é amor de verdade e o que é comodismo. A confusão entre Lineu (Marco Nanini) e Nenê (Marieta Severo) começa depois que o fiscal dá um beijo ardente na esposa, que logo estranha o comportamento do marido. Com um ar de nostalgia, os dois relembram os bons tempos do casamento.


No dia seguinte, Nenê e Lineu decidem sair separados, mas acabam se encontrando por acaso. Os dois voltam para casa juntos, mas parecem dois desconhecidos, o que deixa Lineu ainda mais confuso. O fiscal decide desabafar com Mendonça (Tonico Pereira), e se surpreende quando o amigo diz que talvez ele já esteja separado e não saiba. Para descobrir se o seu casamento ainda tem razão de ser, Lineu leva Nenê para reviver uma noite inesquecível no Petisco da Velha. Mas nem tudo sai como o esperado.
Enquanto isso, Agostinho (Pedro Cardoso) descobre que não consegue olhar para outras mulheres porque Bebel (Guta Stresser) pediu para o Pajé Muricy (Luis Miranda) fazer um “trabalho de amarração”. Confuso, o taxista quer saber se realmente ama a esposa ou se está com ela por causa de um feitiço. Como será que isso tudo vai terminar?
Não perca! O episódio ‘A Noite Perfeita’ tem redação de Adriana Falcão, Max Mallmann, Bernardo Guilherme e Marcelo Gonçalves. A direção de núcleo é de Guel Arraes, a direção geral é de Luis Felipe Sá e a direção é de Olívia Guimarães. A Grande Família vai ao ar às quintas-feiras, logo após Fina Estampa.

Lívia Andrade visita a Praça e se depara com “Ibope de Elite”


Nesta quinta, 8 de setembro, Livia Andrade visita A Praça É Nossa e se depara com o “Ibope de Elite”, um grupo que quer derrubar a audiência do programa.


Para vencer os vilões, Batman e Robin surgem na Praça para acabar com eles e trazer a paz de volta ao programa.

Nina apronta com Carlos Alberto e maquia o apresentador 

Nesta quinta, 8 de setembro, Carlos Alberto de Nóbrega será surpreendido por Nina (Marlei Cevada).

A garotinha vai levar seus brinquedos para a Praça e pedir para Carlos Alberto brincar com ela. Médica, mamãe e filhinha, e até de noiva… Ele só não poderia imaginar o resultado final de toda essa brincadeira. Nina irá usar seu kit de maquiagem para fazer uma transformação no visual do apresentador.







SBT exibe “Episódio Perdido” de Chaves neste sábado

Neste sábado, 3 de setembro, o SBT exibe mais um Episódio Perdido de Chaves!


A partir das 19h, você vai curtir “A Festa da Amizade”, na qual a turma da vila promove uma festa da viznhança com direito a muitas pichorras e confusões quando cada uma delas é quebrada.

Para quem não sabe, pichorra é uma espécie de balão muito comum no México feito de jornal ou isopor. Dentro dela, ficam doces ou frutas que caem quando é quebrada.

Vale lembrar que neste sábado, após o SBT Brasil, os episódios de Chaves continuam a ser exibidos, a partir das 20h15, até o começo do Cine Família, com o filme “Viagem ao Centro da Terra – O Filme”.
Nesta sexta-feira, dia 02 de setembro, Jô Soares entrevista Elba Ramalho, Celso Massumoto e Garry Kasparov. 

A cantora Elba Ramalho acabou de completar 60 anos e de chegar de uma viagem religiosa à Medjugorge, na Bósnia. Está lançando CD e DVD. 

O médico especialista em hemato-oncologia e transplante de medula óssea, Celso Massumoto, é autor de “Células-Tronco, como coletar, processar e criopreservar”. Vai falar sobre os tipos de leucemia e seus tratamentos, e também da coleta e preservação de células-tronco. Massumoto também vai contar situações curiosas da carreira. 

Considerado um dos maiores enxadristas de todos os tempos, Garry Kasparov veio ao Brasil participar de eventos e palestras para divulgar o xadrez e a Kasparov Chess Foundation.

tags Celso Massumoto, Elba Ramalho, Garry Kasparov 
Nesta quinta-feira, dia 01 de setembro, Jô Soares entrevista Ary Toledo, Geneton Moraes Neto e Débora Duboc.O humorista Ary Toledo está lançando “Os Textículos de Ary Toledo”, uma coletânea de frases sobre assuntos variados que ele juntou ao longo da carreira. Além do livro, Ary continua excursionando com o show “Ary Toledo a Todo Vapor”.




 Geneton Moraes Neto passou um tempo nos EUA gravando uma série de entrevistas com personagens pouco conhecidos do público, que fará parte de um pacote especial de matérias sobre o 11 de Setembro preparado pela Globonews.A atriz Débora Duboc está em cartaz no Rio com a comédia “O Homem, a Besta e a Virtude”, de Luigi Pirandello, onde interpreta três personagens. O mesmo texto foi encenado pela primeira vez no Brasil há quase 50 anos
Danilo e a lenda do Minotauro!

Antônio Rodrigo “Minotauro” Nogueira, a lenda do UFC, no sofá, frente a frente com Danilo
foto: divulgação
Da redação programação@band.com.br
O campeão do UFC e um dos maiores lutadores de MMA da história abre o jogo.

Nesta quinta(01), às 23h55, no AGORA É TARDE, Danilo recebe em seu sofá a lenda das Artes Marciais Mistas, o MMA, o primeiro campeão peso-pesado da história a ganhar os títulos do PRIDE e do UFC, dois dos principais campeonatos de luta do mundo, o baiano Antônio Rodrigo “Minotauro” Nogueira.

Especializado em judô, mas grande conhecedor do boxe, jiu-jitsu, muay thai e wrestling, Minotauro é considerado o maior finalizador da história do MMA, e está na lista dos maiores lutadores de todos os tempos. Das 41 lutas que disputou, venceu 33 e teve apenas 6 derrotas e 1 empate.

AGORA É TARDE, com Danilo Gentili, vai ao ar nesta quinta(01), após o Polícia 24H, na BAND.

HD: onde disponível


A Praça é Nossa | qui 23h30 | SBT – Humor |

O bom humor é o ingrediente mais precioso do programa. Entre os personagens que passeiam pelo programa estão desde tipos inocentes até personagens que satirizam a política nacional. Todas as quintas, Carlos Alberto de Nóbrega e um time de humoristas de peso trazem diversos quadros hilários, escritos por uma equipe antenada com o bom humor. São dezenas de personagens e participações super engraçadas, que conquistam os brasileiros há mais de 20 anos e se confundem com a história da nossa televisão.



Nesta quinta, 1ª de setembro, Carlos Alberto de Nóbrega irá se deparar com dois Batmans e dois Robins. Mas qual dupla dinâmica será a original e qual será a impostora?


Enquanto isso, MC Catraca e sua gangue invadem a Praça e ameaçam transformá-la em um baile funk. Será que os heróis verdadeiros vão conseguir provar sua originalidade?

Ex-Man é pego por um policial machão na Praça desta quintaPublicado 31/8/2011Em A Praça É Nossa desta quinta, 1º de setembro, Walmir, o Ex-Man, também chega na Praça cheio de novidades. Ele e suas “amigas” foram pegas por um policial todo machão. Será que ele resistiu ao glamour dessas meninas?

Enquanto isso, na Tropa de Malukos, Durão descobriu um colar cheio de poderes e agora que está forte resolveu comprar a briga dos outros malukos. Eles vão resolver tudo no braço de ferro, mas é claro que se tratando desses três as coisas não poderiam sair tão nos conformes assim.












A Grande Família | qui 22h35 | Globo – Humor|


O programa é um remake da série original. Os personagens foram atualizados e incorporados à realidade atual. É um sucesso de público e crítica, e se tornou uma das principais audiências do canal.
Elenco:
Marieta Severo, Marco Nanini, Lúcio Mauro Filho, Guta Stresser, Marcos Oliveira, Andréa Beltrão, Rogério Cardoso, Leandra Leal, Diogo Vilela, Francisco Milani

A Grande Familia
‘A república do salto alto’
Episódio de ‘A Grande Família’, previsto para ser exibido dia 01 de setembro



Marieta Severo, Marco Nani e Giulia Gam posam nos bastidores de gravação de “A Grande Família” nos estúdios do Projac, na zona oeste do Rio de Janeiro André Durão/UOL


No próximo episódio de ‘A Grande Família’, previsto para ser exibido dia 01 de setembro, os Silva e os moradores do bairro recebem uma terrível notícia: o Paivense será demolido para o início das obras do viaduto que, futuramente, desabrigará todos os que residem no local. Para marcar o começo dos trabalhos, a presidente Dilma Rousseff irá ao local no primeiro dia da demolição. Mas Nenê (Marieta Severo), como presidente da Associação de Moradores, decide lutar contra a decisão e chamar a atenção da mulher que comanda o país. A matriarca dos Silva e toda a comunidade fazem uma ocupação pacífica do Paivense, com o objetivo de impedir que o clube seja demolido.

Os problemas começam quando Lineu (Marco Nanini) recebe uma ligação urgente de Mendonça (Tonico Pereira) pedindo sua ajuda. Ele deixa o local, sem dar explicações, e corre para a Repartição, onde se depara com a chefe deles de Brasília, Estela (Giulia Gam), presa no elevador. Mendonça confessa que a trancou lá para que ela não o demitisse, mas Lineu a liberta e pede que o parceiro se desculpe. Porém, Estela revela que veio ao Rio de Janeiro para sugerir que o patriarca da família Silva assuma o cargo do patrão. Mendonça logo acha que tudo foi um complô da dupla e foge deles, seguido por Lineu, que também é pego de surpresa com a notícia. A situação piora quando Nenê liga para o marido e Estela atende o telefonema. A esposa de Lineu, tensa com a presença da “concorrente”, segue para a repartição e deixa a invasão do Paivense sem ser percebida. Já no trabalho do marido, Nenê escuta de Mendonça que Lineu e Estela os traíram. Lineu até tenta desfazer o mal-entendido, mas não consegue. Nenê, mesmo triste, deixa o coração de lado e volta ao Paivense para lutar pela comunidade e dissuadir a presidente Dilma da construção do viaduto. Enquanto isso, no clube, Bebel (Guta Stresser) e Agostinho (Pedro Cardoso) tentam controlar os ânimos dos moradores, que, ao perceber os defeitos do lugar e a ausência da presidente da associação, ameaçam abandonar a invasão e desistir de lutar pela preservação do bairro. Agora, cabe a Nenê chegar a tempo de salvar o clube e o bairro.



Giulia Gam entra na “Grande Família” como Estela para balançar o casamento de Lineu
FÁBIA OLIVEIRA
Do UOL, no Rio


Na sala de estar do Projac, complexo de estúdios da Globo na zona oeste do Rio de Janeiro, repórteres aguardam a chegada de Giulia Gam para a entrevista. A atriz, de 44 anos, vai fazer uma participação especial em dois episódios de “A Grande Família”. O primeiro, “A República do Salto Alto”, vai ao ar nesta quinta-feira (1) e tem uma continuação na semana seguinte, intitulado “A Noite Prefeita”. A surpresa é geral quando Giulia entra na sala para ser entrevistada. Num modelito vermelho justíssimo, ela exibe sua boa forma, enterrando de vez a imagem da Bruna de “Ti-Ti-Ti”, seu mais recente trabalho exibido na TV. “Bruna era uma jovem senhora. Agora estou voltando ao lado sexy das seduções”, diverte-se. No seriado, Estela nutre uma paixão recolhida por Lineu e a chegada dela faz com que o casamento de Nenê (Marieta Severo) fique abalado. “Ela é chefe de Lineu [Marco Nanini] e Mendonça [Tonico Pereira], só que trabalha em Brasília. Estela tem interesse no empregado, mas sabe que ele é casado e não dá em cima diretamente. E o modelito dela é esse: colado ao corpo. Eu vou dar uma chacoalhada nesse relacionamento”, brinca Giulia afirmando que, na vida real, nunca daria em cima de alguém comprometido, embora admita já ter sido traída: “Roubaram um namorado meu na cara dura!”.

Na trama, os problemas de Lineu começam quando ele recebe uma ligação urgente de Mendonça pedindo sua ajuda. O amigo corre para a repartição e se depara com Estela presa no elevador. Mendonça confessa que a trancou lá para que ela não o demitisse, mas Lineu a retira e pede que o parceiro se desculpe com a chefe. Estela revela que foi até o Rio de Janeiro para sugerir que o patriarca da família Silva assuma o cargo do patrão. Mendonça acha que tudo foi um complô da dupla e foge, seguido por Lineu, que é pego de surpresa com a notícia. Os problemas pioram quando Nenê liga para o marido e Estela atende. Apesar de não ter a intenção de prejudicar o casamento deles, a situação cresce e o casamento de Lineu e Nenê entra em crise. Na sinopse original do seriado, havia uma cena em que Lineu e Estela se beijavam. Mas, segundo a atriz, a sequência foi cortada. “Rola um clima entre os dois, mas não fica claro se eles se beijaram ou não. Acho que o mote principal é essa família, por isso o beijo foi limado. Não sei se a família brasileira gostaria de ver isso”, opina.

Depois do expediente, a turma da repartição vai até o Petisco da Velha para tomar um chope. Todos se sentam e a única cadeira que sobra para Lineu é ao lado de Estela. Sem jeito, ele senta e pede uma bebida. Na hora de ir embora, dá de cara com Nenê, que foi com o pessoal da associação de moradores ao mesmo lugar. Desconfiada, Nenê pergunta se todos da repartição estão no local. Mendonça interpela a matriarca dos Silva e, bêbado, responde que só os “machos” saíram para beber. Só que Estela está no local, mas a Nenê não a vê. Marieta Severo, que define sua personagem como “ciumenta e possessiva”, acha maravilhoso a entrada de Giulia Gam nos episódios. “É ótimo alguém que entra para criar um pouquinho de confusão entre o casal. Ela é feliz dentro do lar dela, que é o reino dela e não admite interferências”, observa Marieta.

Apesar do lado família de Nenê, ultimamente ela tem se dedicado à presidência da associação de moradores do bairro. O Paivense, inclusive, será demolido para o início das obras do viaduto. E para prestigiar o evento, a presidente Dilma irá ao local para o primeiro dia da demolição. Nenê decide lutar contra a decisão e chamar a atenção da presidente do Brasil. Mas ela deixa a manifestação pegando fogo quando se sente ameaçada pela presença de Estela. “Nenê está exercendo a função dela na associação, mas o coração bate mais forte e ela vai atrás de seu grande amor”, conta Marieta, que não acredita que Lineu seja capaz de trair sua personagem. Nanini tem o mesmo pensamento que sua colega de cena. “Acho que ele pensaria dez mil vezes antes de fazer isso”, avalia.

Esta é a segunda vez que Giulia participa do seriado. A primeira foi em 2002, no episódio “Os Boçais”, em que fazia Jaqueline, uma vizinha interessada em Agostinho (Pedro Cardoso). “Lembro que também usava roupas coladas. Tinha até uma calça da ‘Gang’. Não consigo esquecer isso”, lembra Giulia, que afirma se sentir em casa quando está fazendo “A Grande Família”. “É uma turma que vem unida há muito tempo. O Nanini é um grande companheiro de trabalho. E quando a gente começa a assistir o seriado, não consegue parar”, elogia.

Nanini também gostou de gravar ao lado da amiga: “Giulia é tão boa atriz que dá um jeito especial em cada personagem. Ela é muito radiosa e muito bonita, foi muito bom para esse papel. Fora o talento que ela possui”, fala.














O episódio ‘A república do salto alto’ está previsto para ser exibido nesta quinta-feira, dia 01 de setembro, e tem redação de Mariana Mesquita, Cláudia Jouvin, Max Mallmann, Bernardo Guilherme e Marcelo Gonçalves. A direção de núcleo é de Guel Arraes, a direção geral é de Luis Felipe Sá e a direção é de Olívia Guimarães. ‘A Grande Família’ é exibida às quintas-feiras, logo após ‘Fina Estampa’.



Hospital anuncia que Shaolin sofre de traumatismo cranioencefálico grave
A equipe médica do Hospital das Clínicas em São Paulo passou a manhã desta sexta-feira, dia 21, realizando exames no humorista Francisco Jozenilton Veloso, o Shaolim e divulgou há poucos instantes um boletim com informações sobre o estado de saúde dele.
De acordo com a nota, a equipe multidisciplinar de médicos precisou implantar um cateter no crânio de Shaolin para controlar a pressão. O humorista foi diagnosticado com traumatismo cranioencefálico grave e extensa lesão no braço esquerdo.
Confira a nota divulgada pela Assessoria de Imprensa do Hospital das Clínicas
NOTA À IMPRENSA
O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, ligado à Secretaria de Estado da Saúde, informa que o paciente Francisco Jozenilton Veloso – vítima de acidente automobilístico no dia 18 de janeiro de 2011 – deu entrada no Pronto – Socorro do HC às 3h26 da madrugada desta sexta-feira (21/01/11), proveniente do Hospital Antonio Targino, em Campina Grande, Estado de Paraíba.
No Hospital das Clínicas, o paciente foi avaliado inicialmente pelas equipes do Pronto Socorro. Foi submetido a exames de imagem: tomografias de crânio, coluna cervical, tórax, abdômen e ombro esquerdo.
Transferido para a Unidade de Terapia Intensiva, está sob cuidados de equipe multidisciplinar (Cirurgia do Trauma, Neurocirurgia, Ortopedia e Medicina Intensiva), que identificou traumatismo cranioencefálico grave, extensa lesão de membro superior à esquerda com perda de substância óssea e contusão torácica.
Foi indicada a implantação de cateter para monitoração da pressão intracraniana pela equipe de neurocirurgia e nova limpeza cirúrgica da lesão traumática do membro superior esquerdo.
O paciente permanece na Unidade de Terapia Intensiva.
Do portal O Norte

HUMOR PROIBIDO – Liminar que suspendeu dispositivos da Lei Eleitoral será analisada hoje

Quinta-feira, 02 de setembro de 2010

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) suspenderam a análise da liminar concedida pelo ministro Carlos Ayres Britto na Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 4451, ajuizada na Corte pela Abert (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV) contra dispositivos da Lei 9.504/97. Segundo a autora da ação, os artigos questionados estariam impedindo “manifestações de humor” durante o período eleitoral. O julgamento, no qual a Corte vai decidir se referenda a decisão do relator, deve ser retomando na sessão de hoje (2).

Até o momento, depois que o relator do caso leu seu relatório, falaram o advogado da Abert, autora da ação, e o advogado do PDT, admitido como amigo da Corte. Ambos pediram que o Supremo confirme a decisão do ministro Carlos Ayres Britto, com base nos princípios da liberdade de expressão e de imprensa.

Já o Ministério Público Federal também se manifestou, por seu procurador geral da República, Roberto Gurgel. Ele defendeu a norma, por entender que a alegada proibição só se aplica quando houver degradação ou ridicularização de candidatos.

Em sua decisão, tomada no último dia 26, o ministro Ayres Britto suspendeu o inciso II do artigo 45 da Lei Eleitoral (Lei 9.504/97), e deu interpretação conforme ao inciso III do mesmo artigo, para que se entenda que “considera-se conduta vedada, aferida a posteriori pelo Poder Judiciário, a veiculação, por emissora de rádio e televisão, de crítica ou matéria jornalísticas que venham a descambar para a propaganda política, passando, nitidamente, a favorecer uma das partes na disputa eleitoral, de modo a desequilibrar o ‘princípio da paridade de armas’”.

Abert

Para o advogado da Abert, os dispositivos questionados impõem severas e desproporcionais restrições às emissoras de TV e Rádio no trimestre anterior às eleições, ao impedir que veiculem programas que venham a degradar ou ridicularizar candidatos a partir de 1º de julho do ano de eleição

Esses dispositivos, disse o advogado, geram grave efeito silenciador sobre as emissoras, que se vêem impedidas de produzir ou veicular sátiras, charges ou programas de humor que falem de temas políticos, durante o período eleitoral. Para ele, a norma seria uma forma de autoproteção dos políticos contra as críticas emanadas da sociedade.

A norma prevista no inciso II do artigo 45 é manifestamente desproporcional e excessiva, violando princípio da vedação do excesso, disse o advogado. Além do mais, existem meios menos gravosos que poderiam ser utilizados para garantir a lisura do processo. Nesse sentido, ele citou dispositivos presentes na própria Constituição Federal de 1988, o direito de resposta, a responsabilização civil e penal, que podem muito bem remediar eventuais desvios ou abusos.

Além disso, frisou, a Abert entende que o humor, a sátira e a crítica não restringem o debate político, e sim ajudam o eleitor a se tornar mais consciente e informado. A liberdade de expressão e de imprensa são garantias constitutivas da democracia e não atrapalham a lisura do processo eleitoral, asseverou. Para ele, parece ser uma contradição o fato de o legislador determinar que quando mais premente a necessidade de aguçamento do interesse do eleitor e mais necessária a divulgação de informações, surja a vedação prevista nos dispositivos questionados.

Ele lembrou, ainda, que durante as duas grandes ditaduras que ocorreram no país – a ditadura de Vargas e o período de 1964, os humoristas tiveram papel decisivo na luta pela democracia e pelas garantias constitucionais.

O advogado lembrou do julgamento da ADI 3741, ocasião em que o ministro Ayres Britto e o ministro Ricardo Lewandowski teriam dito que o período eleitoral não pode ser considerado estado de sítio, único momento institucional que permite certas restrições a direitos individuais, como liberdade de expressão e de imprensa.

Urgência

Sobre o fato de se pedir urgência na decisão, para suspender uma norma que está em vigor há treze anos, o advogado revelou que o próprio Supremo entende que eventuais lesões à ordem constitucional são contínuas e se renovam dia a dia. Ele citou precedentes da Corte, como as ADIs 4105 e 4178, em que se concedeu liminar para suspender normas há muitos anos em vigor.

PDT

Dizendo sentir-se parte do debate em torno da liberdade de imprensa, o deputado federal e advogado Miro Teixeira (PDT/RJ), autor da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 130, na qual a Corte derrubou a Lei de Imprensa, disse que o Brasil vive um regime de liberdade absoluta, exigida pelo STF e definida pela Constituição de 1988, exceto no período eleitoral.

As vedações impostas pelos dispositivos questionados nessa ADI, disse Miro Teixeira, não aumentam a liberdade dos cidadãos de conhecerem os candidatos. O parlamentar lembrou que, mesmo durante a ditadura militar vivida pelo Brasil, ele mesmo, como candidato a deputado federal, participou de programas humorísticos. O que acontece também nos Estados Unidos. “Não há desrespeito no riso”, conclui Miro Teixeira.

MPF

Roberto Gurgel, procurador-geral da República, disse que o Ministério Público Federal compartilha das convicções do ministro Ayres Britto, relator da ADI 4451, quanto à intangibilidade da liberdade de imprensa. Concorda, também, com o entendimento de que humor e charges, como forma de colocar em circulação frases e idéias, é uma forma de imprensa.

Mas Gurgel lembrou que também é procurador-geral eleitoral, e como tal deve estar atento às questões que possam afetar o equilíbrio das eleições, a igualdade entre os candidatos. Ele frisou que a liberdade de manifestação e pensamento constituem, realmente, garantias tão caras quanto o próprio sufrágio (voto), como argumentou a autora da ação.

Mas, de acordo com Gurgel, os dispositivos questionados não proíbem o humor. O que se proíbe é a prática de montagem ou trucagem que venha a degradar ou ridicularizar os candidatos, ponderou. Da mesma forma, emendou, a norma também não proíbe criticas. A vedação só existe se a crítica vier com conotação negativa que leve a degradar o candidato, a expor ao ridículo o candidato, disse Gurgel.

“E quando houver essa degradação, será que não estaríamos diante de conduta que equivale à que descamba para a propaganda política, desequilibrando a disputa eleitoral?”, questionou Roberto Gurgel, fazendo menção à decisão do relator na liminar em análise.

Os dispositivos não inviabilizam críticas ou sátiras, nem impedem o humor – tão essencial e inerente à alma brasileira – ou a crítica jornalística, mas apenas que se degrade a imagem ou ridicularize alguém, asseverou o procurador. Isso mostra, exatamente, a proporcionalidade da norma, pontuou, insistindo a incidência da norma só em casos extremos, quando houver degradação ou ridicularização.

“É aceitável brincadeira com candidato, desde que não caia nas condutas referidas”, disse Roberto Gurgel, lembrando que a TV norte-americana, citada pelo deputado Miro Teixeira, mostra realmente brincadeiras com os candidatos, “mas sempre com tratamento respeitoso”.

Gurgel disse, ainda, temer que se abra agora uma “trilha estreita”, mas que permita depois se abrir um caminho que permita ações que acabem afetando esse equilíbrio de armas na disputa eleitoral.

Divertido

Por fim, rebatendo a necessidade de se suspender com urgência uma lei de 1997, que até então não havia sido questionada, Gurgel concordou que o Supremo realmente permite a concessão de liminares nesses casos. Mas, concluiu Gurgel, a lei vem sendo testada ao longo de tantas e tantas eleições, e o país não ficou menos divertido por causa dela.