Arquivo da categoria ‘Ensaio’

Ensaio| 21/10 qua 22h10 | Tv Cultura – Musical |


No ar desde 1990, Ensaio traz a cada programa um artista diferente. As mais diferentes tendências e gêneros da música brasileira de qualidade estão registradas nestas conversas musicais.


Elza Soares era a ‘filha espiritual’ de Louis Armstrong

No Ensaio desta semana, a cantora carioca fala de sua amizade com Satchmo, sobre sua carreira e canta sucessos de Dorival Caymmi, Ary Barroso, Herivelto Martins e Nelson Cavaquinho

Dona de uma voz rouca, vibrante e afinadíssima, a carioca Elza Soares é a convidade de Fernando Faro no Ensaio desta quarta-feira (21/10), às 22h10, na TV Cultura.

Filha de uma lavadeira e de um operário, Elza foi criada na favela de Água Santa, subúrbio de Engenho de Dentro (RJ). Cantava, desde criança, no ritmo sincopado dos sambistas de morro. “João Gilberto, meu grande amigo, ia muito lá em casa para ver a divisão (de notas) que eu fazia ao cantar. Ele achava incrível”.

Aos 12 anos já era mãe e, aos 18, viúva. Foi mulher de Garrincha e com ele acompanhou as glórias e também a decadência do jogador, que sofreu com o alcoolismo e morreu em 1983.

No fim da década de 1950, Elza Soares fez uma turnê pela Argentina. Tornou-se popular com a música Se Acaso Você Chegasse, na qual introduziu um scat a la Louis Armstrong, inventando uma ‘jazzificação’ para o samba de Lupicínio Rodrigues.

“Quando estava no palco cantando, uma pessoa vira para mim e diz. ‘Elza, veja quem está atrás de vc’. Era nada menos que Louis Armstrong (também conhecido por Satchmo). Eu achei que ele fosse o Monsuelto (Campos de Menezes – sambista carioca), mas não. Ele veio até mim e disse: ‘hellow daugther”. Ele falou que eu era sua ‘filha espiritual’. Uma pessoa maravilhosa, ficamos muito amigos”.

Elza Soares vem acompanhada dos músicos Rômulo Caetano (piano), André Melo (bateria) e Elcio Costa (baixo). No repertório, pérolas da MPB como Ave Maria no Morro (Herivelto Martins), Faceira (Ary Barroso), Vida de Bailarina (Americo Seixas / Chocolate), Folhas Secas (Guilherme de Brito / Nelson Cavaquinho), Rugas (Augusto Garcez / Ary Monteiro / Nelson Cavaquinho), Maracangalha (Dorival Caymmi), Marina (Dorival Caymmi), Samba da Minha Terra (Dorival Caymmi), Pano Legal (Billy Blanco), Se Acaso Você Chegasse (Lupicinio Rodrigues / Felisberto Martins).

Tv Cultura exibe ensaio com Mercedes Sosa

Publicado: 7 de outubro de 2009 em Cultura, Ensaio
Ensaio| 07/10 qua 22h10 | Tv Cultura – Musical |


No ar desde 1990, Ensaio traz a cada programa um artista diferente. As mais diferentes tendências e gêneros da música brasileira de qualidade estão registradas nestas conversas musicais.


Tv Cultura exibe ensaio com Mercedes Sosa
Cultura 7/10 qua 22h10

A cantora argentina, que morreu no último domingo, será homenageada com exibição de programa gravado em 1991

Fernando Faro traz nesta quarta-feira (7/10), a partir das 22h10, na TV Cultura, uma edição especial do programa Ensaio, em homenagem a cantora argentina Mercedes Sosa, que faleceu no último domingo (4/10), aos 74 anos. A edição que vai ao ar foi gravada com ela em 1991.

A atração mostra um depoimento intimista de Mercedes, que fala sobre a importância do artista não apenas como entretenimento, mas como força cultural e política. Ela também comenta sobre a poesia de Vinicius de Moraes, a música de Elis Regina e o trabalho de Milton Nascimento e Fagner.

A amizade com a cantora e folclorista chilena Violeta Parra é outro assunto destacado, além de comentários sobre a obra de Pablo Neruda, a influência musical de Bob Dylan e as lembranças de sua infância, na Província de Tucumán, norte da Argentina.

No repertório, La Negra – como Mercedes era conhecida – canta Gracias a La Vida, Volver a Los 17, Corazón Americano, Cio da Terra, Años, Guitarra Dimelo Tú, Canción Del Derrumbe, entre outros.

Com uma carreira de mais de quatro décadas, Mercedes Sosa foi uma das vozes mais representativas da música popular Argentina e da América Latina. É a intérprete mais popular de seu país, depois de Carlos Gardel e Astor Piazzolla. Neste ano, ela lançou um disco em dois volumes denominado Cantora, em que canta em parceria com artistas como Joan Manuel Serrat, Caetano Veloso e Shakira, razão pela qual estava indicada a três prêmios Grammy Latino.

o rock da baiana pitty no ensaio

Publicado: 22 de setembro de 2009 em Cultura, Ensaio
O rock da baiana Pitty no Ensaio

Durante o programa, a cantora fala sobre seu relacionamento com a mãe, a infância, e sobre o novo disco Chiaroscuro, lançado em agosto deste ano

Ela já levou vários prêmios do Video Music Brasil, da MTV, e foi duas vezes vencedora na categoria artista do ano. Ao longo dos seus seis anos de carreira, Priscilla Novais Leone, a soteropolitana Pitty, incendeia o palco do Ensaio nesta quarta-feira (23/9), às 22h10, na TV Cultura.

No programa, a cantora fala sobre o novo disco, seu relacionamento com a mãe, e sobre sua infância: “Durante minha adolescência, éramos antagônicas, só tivemos um contato físico mesmo, de trocar carinho, recentemente”. Mas foi sua mãe quem lhe passou sua principal influência musical: “A admiração pela Elis (Regina) veio muito de minha mãe, que tinha todos os vinis da cantora. A Elis é para mim a maior cantora deste país, uma das únicas pessoas que eu conheço que conseguia cantar chorando”.

Após quatro anos sem lançar um disco de inéditas, Pitty mostra no Ensaio as canções de seu novo álbum Chiaroscuro (lançado em agosto deste ano), além dos hits, Admirável chip novo, Memórias e Máscara: “Muita gente ficou assustada achando tudo muito diferente (o novo CD). Adoro quando as pessoas não esperam uma coisa, mas você vai lá e faz”.

Ainda no repertório, Pitty canta Fracasso, Medo e Me adora.

Ensaio| 26/08 qua 22h10 | Tv Cultura – Musical |

No ar desde 1990, Ensaio traz a cada programa um artista diferente. As mais diferentes tendências e gêneros da música brasileira de qualidade estão registradas nestas conversas musicais.


Um Ensaio de música e dança com Tatiana Cobbett

Cantora, compositora e bailarina se apresenta na TV Cultura ao lado do violonista gaúcho Marcoliva, com um repertório que mistura diversas sonoridades bem brasileiras

A diversidade musical de Tatiana Cobbet, que mescla referências rítmicas com diferentes sotaques brasileiros, numa linguagem tão particular que permite um passeio sucinto pela Tropicália, Mangue Beat e uma caminhada rápida pelo Clube da Esquina dá o tom do Ensaio da próxima quarta-feira (26/8), às 22h10, na TV Cultura.

Ao lado do violonista Marcoliva, Tatiana (que também é compositora e bailarina) leva para o palco o movimento intenso de seu corpo junto à velocidade em que se expõe, elevando suas canções de amor e protesto aos sentidos do público. Entre uma música e outra, ambos falam do álbum que estão lançando em parceria, Bendita Companhia, uma produção independente que reúne compositores e músicos de noves estados brasileiros, que trazem no sangue os mais variados ritmos do Brasil – do forró ao choro, passando por valsa, samba, rock, baladas, entre muitos outros.

Durante o Ensaio, Tatiana canta Aspirina; Xote Lindo, que traz uma união de músicos e de influências regionais, composta por Marcoliva, Rafael Calegari e Zelito Coringa; Teu Samba, um retrato da jinga musical verde-amarela; e, por fim, o ritmo dançante do frevo Vale do Ribeira.

Questionada por Fernando Faro se prefere música à dança, Tatiana é direta: “Prefiro a arte. Tudo está interligado, preciso da dança para cantar melhor”, diz.

Encontro com a música

Formada pela Escola de Danças Clássicas do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Tatiana Cobett trabalhou durante 12 anos na companhia paulista Balé Stagium, com quem percorreu o Brasil, boa parte da América e alguns países da Europa em diversas apresentações. No final da década de 1980, Tatiana aparece para as críticas pelo trabalho realizado no balé Stagium, dirigido por Marika Gidali e Décio Otero. Escreveu, idealizou e atuou no musical Mulheres de Holanda. Dirigiu, ainda, os espetáculos Grito das Flores, Esta Terra Portugal, Alma Flamenca e o Festival Três Bandeiras. Seu encontro com a música se deu quando produzia shows para artistas como Badi Assad e Carlinhos Antunes. Em 2000 iniciou parceria com Marcoliva, o que rendeu, além de várias músicas e o livro Básicas Composições, o primeiro CD Parceiros, repleto de composições próprias. O álbum tem produção musical de Luiz Meira e participação de artistas como Edu Ribeiro, Marcos Brito, Marcelo Martins, Badi Assad, entre outros.


Ensaio| 22/07 qua 22h10 | Tv Cultura – Musical |

No ar desde 1990, Ensaio traz a cada programa um artista diferente. As mais diferentes tendências e gêneros da música brasileira de qualidade estão registradas nestas conversas musicais.

Próximos:
Dom, 26/07 às 05h00
Qua, 29/07 às 22h10
Dom, 02/08 às 05h00

“Bolero é a última esperança que nos resta” , diz Leny Andrade

No Ensaio, a cantora também homenageia Johnny Alf e Tom Jobim, e conta como aprendeu a improvisar com Dolores Duran

Nesta quarta-feira (22/7), a partir das 22h10, Fernando Faro recebe no programa Ensaio, da TV Cultura, a cantora carioca Leny Andrade, que conta sobre a experiência de viver no México por cinco anos e fala do ritmo musical que mais lhe atrai: “o bolero é a ultima esperança que nos resta. Para armar um romance direito como ele tem que ser armado, só através de um bom bolero”. Em seguida, interpreta Sabra Dios.

Leny comenta ainda como aprendeu a improvisar ouvindo Dolores Duran na Rádio Nacional. “O meu modelo para os improvisos foi uma moça chamada Dolores Duran. As pessoas diziam: imagina que você improvisa do jeito que improvisa por causa da Dolores Duran. Isso gerou, inclusive, uma briga terrível com o Sergio Mendes, porque ele não acreditava”, lembra. E para homenagear Duran, interpreta Por Causa de Você.

A cantora também lembra do início da carreira no Beco das Garrafas (conjunto de bares no bairro de Copacabana, que foi berço da Bossa Nova nos anos 50 e 60), onde ainda menor de idade e tendo que se esconder do Juizado de Menores para conseguir se apresentar, conheceu grandes artistas da MPB como Johnny Alf e Tom Jobim.

No repertório, lembra Alf, o “papa da Bossa Nova”, segundo ela, cantando Ilusão à Toa e Céu e Mar; e para Tom Jobim, traz um pout-pourri que inclui músicas como Só danço samba, Vivo Sonhando, Outra Vez e Garota de Ipanema.



Ensaio | 10/06 qua 22h10 | Tv Cultura |
Convidada: Giana Viscardi

A sofisticada voz de Giana Viscardi dá o tom no Ensaio desta quarta

Antes de ingressar na carreira artística, a cantora tentou se formar em arquitetura pela USP, mas a música falou mais alto e hoje, com dois álbuns lançados, é tida como uma das revelações da MPB

Considerada uma das melhores compositoras e cantoras da nova safra da música brasileira, a paulistana Giana Viscardi é a convidada do Ensaio desta quarta-feira (10/6), às 22h10, na TV Cultura.

Com sua sofisticada bossa cheia de influências de Gilberto Gil, Djavan, Edu Lobo, João Bosco, Paulinho da Viola, João Gilberto e João Donato, Giana já lançou dois álbuns: Tinge gravado em Boston (2001) e 4321, gravado no Brasil em 2006 e lançado também no Japão.

No papo com Fernando Faro, Giana diz que aprecia muito o trabalho de João Donato, com quem já teve oportunidade de fazer alguns shows, ao lado de Roberto Menescal. “Eu gosto de praticamente tudo no repertório do João, da simplicidade dele, da mistura do tchatchatcha com o samba, do balanço incrível. Canto muitas músicas dele.”

Para o Ensaio, a compositora faz uma belíssima homenagem a três mestres da música brasileira: Baden Powell, interpretando Consolação; Paulinho da Viola, Cantoria; e Vinicius de Moraes, Canção do amor que chegou. A cantora mostra ainda músicas de sua autoria, como: Calma, Dezenove Luas, Linda, Tinge e 4321.

Da infância, Giana conta que traz belas lembranças de Paulinho da Viola. “Meu pai gosta muito do Paulinho, então eu ouço desde criança. É algo que faz parte da minha formação, da minha história de vida”.

Um time de músicos de primeira linha acompanha a cantora no Ensaio: o austríaco Michael Ruzitschka (guitarra e violão), seu marido; Fábio Torres (piano), Sérgio Machado (bateria) e Márcio Arantes (baixo).

Antes de ingressar na carreira artística, Giana freqüentava o curso de arquitetura da USP, mas a música falou mais alto. Após o consentimento de seu pai, partiu para Boston, nos Estados Unidos, para estudar canto e percussão na Berkelee College of Music, uma das mais conceituadas escolas de música do mundo. E, de lá para cá, vem surpreendendo com sua voz afinada que dá o tom às suas belas composições.

Ensaio | 20/05 qua 22h10 | Tv Cultura |
O poeta da sanfona Zé Calixto é o convidado do Ensaio desta quarta-feira

https://i1.wp.com/www.tvcultura.com.br/cms/midia/destaques/ensaio_josecalixto_1242664769.jpg
Sanfoneiro completa 50 anos de carreira, relembra histórias com Luiz Gonzaga e transforma o programa num autêntico arrasta-pé nordestino

Conhecido como o ‘Rei dos Oito Baixos’ – tipo de sanfona que se difere por ter apenas botões -, o instrumentista, sanfoneiro e compositor Zé Calixto é o convidado de Fernando Faro no Ensaio desta quarta-feira (20/5), às 22h10, na TV Cultura.

Nascido em Campina Grande, na Paraíba, Calixto completa 50 anos de carreira neste ano e conta toda a sua trajetória artística no programa, desde quando saiu da Paraíba deixando seu casamento recente, para fazer uma gravação no Rio e Janeiro. Calixto explica que deixou sua mulher e depois de três meses voltou para buscá-la, mudando-se definitivamente para a cidade maravilhosa, em 1959. Naquele ano, o sanfoneiro gravou seu primeiro disco pela Philips.

Acompanhado dos músicos Valter (7 cordas), Chris Mourão (pandeiro), Durval Pereira (Zabumba) e Zezito Pereira (triângulo), Zé Calixto transforma o Ensaio num verdadeiro “arrasta pé nordestino” com as canções Forró do Mengo, Tô aqui pra isso, Eu quero é sossego, Forró em Camaratuba, Pé-de-serra, Homenagem a Velha Guarda, Meu Pai Toca isso, Cuco/Delicado, Tudo Azul e Escadaria.

Calixto lembra ainda das parcerias com grandes músicos e amigos como Jackson do Pandeiro e Luiz Gonzaga.

Maestro Forró mistura frevo e música erudita no Ensaio

Líder da Orquestra Popular da Bomba do Hemetério cria arranjos fora dos padrões unindo músicas afro-americanas com as afro-brasileiras e afro-cubanas

O programa Ensaio com a Orquestra Popular da Bomba do Hemetério, que irá ao ar na quarta-feira (15/04), às 22h10, na TV Cultura, traz o melhor das orquestras de frevo pernambucanas. Comandada pelo irreverente Maestro Forró, o nome do grupo vem do bairro Bomba do Hemetério, comunidade situada na zona norte do Recife.

Compositor, arranjador e instrumentista, Forró é conhecido por criar arranjos fora dos padrões para a sua orquestra, unindo características eruditas e populares, misturando as músicas afro-americanas com as afro-brasileiras e afro-cubanas. E o resultado não poderia ser melhor. Composta por 21 integrantes, todos da comunidade Bomba do Hemetério, a orquestra está entre as mais conceituadas de Pernambuco. No Ensaio, apresentam Frevando na Bomba do Hemetério, Suburbano, Dadinha no passo e Bolada nas Costas.

Com pouco mais de seis meses de formação (a orquestra foi criada em 2002), a OPBH lançava seu primeiro CD demo, chamado Orquestra Popular da Bomba do Hemetério Ao Vivo. Em 2003, começou a participar de shows pelo carnaval de Recife. A partir daí, o grupo deu um salto e fez participações no CD do filme A Máquina, de João Falcão, no álbum Nação Canta Pernambuco, do Maracatu Não Pernambuco – acompanhado do músico e performista Antônio Carlos Nóbrega -, e no CD e DVD Music From Pernambuco, distribuído pelas feiras internacionais de música na Europa. A Orquestra também passou por São Paulo e Brasília.

EMBAIXADA DO SAMBA CONTA HISTÓRIA DO SAMBA PAULISTANO NO ENSAIO, DESTA QUARTA-FEIRA, NA TV CULTURA

O programa Ensaio, da TV Cultura, comandado por Fernando Faro, recebe na quarta-feira (05/11), às 22h10, a Embaixada do Samba, que reúne a velha guarda do samba paulistano. Dentre os convidados Toninho Batuqueiro, Duda Ribeiro, Carlão do Peruche, Ideval Anselmo, e Fernando Penteado.

O grupo selecionou um repertório que foi sucesso nas escolas de São Paulo, incluindo as canções Biografia do samba, Tradições e Festas de Pirapora, Repicar dos Tamborins e Agora que eu quero ver.

Durante a entrevista, Toninho Batuqueiro, um dos ícones do samba paulistano, conta da parceira e amizade com o dramaturgo Plínio Marcos. Juntos eles produziram o disco Nas Quebradas do Mundaréu. Ideval Anselmo, da Camisa Verde e Branco, lembra dos sambas compostos por Talismã, um dos maiores nomes da escola. Carlão do Peruche fala sobre o preconceito da sociedade que considerava o samba “coisa de negro”.

TETÊ ESPÍNDOLA NO PROGRAMA ENSAIO DA TV CULTURA

A cantora e craviolonista estará no programa da TV Cultura esta quarta-feira, dia 15 de Outubro às 22h10.

Fernando Faro, recebeu nos estúdios da TV Cultura um ícone da música popular brasileira, Tetê Espíndola. No programa a craviolonista contou parte de seus 30 anos de carreira, tarefa não muito fácil. Também cantou alguns de seus principais sucessos como “Vida Cigana” de Geraldo Espíndola, “Na Chapada” de Tetê e Carlos Rennó e “Escrito nas estrelas” de Arnaldo Black e Carlos Rennó.

Em seus shows, a cantora não deixa faltar em seu repertório “Adeus Pantanal” de Itamar Assumpção e “Semente de som” parceria com Chico César de seu último álbum “Evaporar”.

No programa participação especial do trio CROA, formado por Adriano Magôo (piano acústico), Marcelo Ribeiro (baixo) e Sandro Moreno (bateria).

Ouça: Semente de som.

www.agenciaprodutora.com.br/08-Sementedosom.mp3 (basta clicar e ouvir).

O programa está imperdível!

Dia 15 de Outubro às 22h10, TV Cultura.

Reprise: 21/10 – Terça para Quarta – Feira às 02h da manhã.

O lançamento do CD:

E VA POR AR um ciclo, uma respiração da natureza que suspira em todos nós.

“As músicas cantam o amor através de imagens, paisagens que transportam o ouvinte a uma ambiência sonora mágica. A força imaginária da ecologia, não como uma bandeira política, mas sim uma inspiração estética da natureza”. Marta Catunda.

Na carreira múltipla de Tetê Espíndola, é notável a inovação na forma e na temática, composta por discos onde a natureza se coloca como marca específica, de quem a fez vanguarda, lançada em tempos onde mal se ouviam as palavras “meio ambiente” e “ecologia”.

No repertório do cd Evaporar, o 15º de sua carreira, “Semente de Som”, de Tetê e Chico César, uma ode aos pássaros, ancestrais musicais da humanidade; “Ópera da Natureza”, dela com Arnaldo Black, cosmologia da criação e do amor; “Amor de Graça” e “Ôm pela Paz”, em parceria com Humberto Espíndola, são manifestos poético-ecológicos; “Centro Vazio”, só de Tetê, uma pintura gritante das planícies; “Morena Amiga” e a especial “Prata no mar”, com Alzira E; “Toada da Saudade”, um baião caipira, em parceria com Jerry Espíndola; “Sertão”, a única regravação do cd, uma parceria com Arrigo Barnabé e “Evaporar”, com Marta Catunda.

Este cd foi gravado ao vivo em Campo Grande-MS, em 2004, e finalizado em 2007. Os músicos são todos campo-grandenses; Antônio Porto, no baixo acústico; Adriano Magoo, nos teclados e sanfona; Wlajones Carvalho, na percussão; Sandro Moreno, na bateria e Tetê, na craviola. A produção é do seu selo LuzAzul e a distribuição da Tratore.

O projeto ambiental, o DVD “Águas dos Matos”:

Águas dos Matos

um grupo de artistas capitaneados pelos irmãos Espindola, Tetê, Alzira e Jerry, empreenderam uma expedição multicultural através dos rios Cuiabá e Paraguai, atravessando toda a região do Pantanal Matogrossense, aportando com sua chalalana em diversos povoados ribeirinhos.

Seus Objetivos?

Levar música e arte ao alcance das populações ribeirinhas através shows musicais itinerantes a bordo de uma tradicional chalana Pantaneira; Trocar experiências com as culturas locais e resgata-las para o conhecimento do público brasileiro.

Objetivos Realizados

Oferecer gratuitamente a população e agentes multiplicadores em especial oficinas artísticas e educativas, nas mesmas cidades, com pessoal especializado proporcionando oficina de educação ambiental.

Dar iniciação artística ao público interessado, principalmente infantil. Mostrar as possibilidades de utilização da Sucata, material de degradação do meio ambiente local como matéria prima para transformação: oficina de artes e reciclagem

Dar iniciação musical com teorias básicas da música, emissão de voz e expressão corporal: Oficina de iniciação musical;

Registrar em documentário DVD as riquezas e as oportunidades culturais e turísticas da região. Distribuição do documentário nas escolas nas escolas e centros culturais da região. Veiculação do documentário nas TV”s Educativas

O Projeto por seu formato dinâmico e original, congregando tantas atividades chamou a atenção da mídia, pelo Brasil e por onde passou.

Paramos aqui então?

Desde o inicio a nossa visão é a de que nossos rios são tanto indutores na criação de povoados e cidades, assim como instrumentos de integração, sob todos pontos de vista, inclusive o de serem portadores e transportadores de lendas, estórias, costumes e veículos de nossa história; Assim é que nosso projeto é navegar os diversos rios brasileiros e alcançar sua população inserindo-a no circuito cultural.

Próximos objetivos

Rio Amazonas – AM

Rio Amazonas – Pará

Rio São Francisco

Rio Araguaia

Rio Tocantins

Rio Paraguai – Mercosul

Este DVD não é comercializado e foi doado para escolas e centros de estudos.