Arquivo da categoria ‘Regional’

Conferência Internacional de Cidades Inovadoras 2010
Inovação- C uritiba sedia Conferência Internacional de Cidades Inovadoras
Promovida pelo Sistema Fiep, a CICI2010 trará mais de 80 especialistas nacionais e internacionais para debater soluções que promovam a sustentabilidade e a prosperidade econômica e social nas cidades
Entre os dias 10 e 13 de março, Curitiba receberá mais de 80 especialistas de todo o mundo que irão debater caminhos para a construção de realidades urbanas mais inovadoras, prósperas e humanizadas. Uma iniciativa do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), a Conferência Internacional de Cidades Inovadoras (CICI2010) trará experiências de sucesso em planejamento urbano, sustentabilidade, mobilidade, gestão e políticas públicas, entre outras, que transformaram cidades em ambientes propícios ao desenvolvimento econômico, social e ambiental.
Entre os nomes de peso que participarão da conferência estão Steve Johnson (EUA), autor de seis best-sellers que influenciaram desde ações de planejamento urbano até a luta contra o terrorismo; Pierre Lévy (Canadá), filósofo que estuda o conceito de inteligência colet iva; Marc Giget (França), diretor-fundador do Instituto Europeu de Estratégias Criativas e Inovação; Jaime Lerner (Brasil), arquiteto e urbanista, ex-prefeito de Curitiba; Jeff Olson (EUA), arquiteto e urbanista envolvido em projetos que contemplam espaços verdes e meios de transporte alternativos; Marc Weiss (EUA), presidente do Global Urban Development e líder do projeto Climate Prosperity; Clay Shirk (EUA), professor de Efeitos Econômicos e Sociais das Tecnologias da Internet e de New Media na New York University; e o arquiteto Mitsuru Senda (Japão). A lista completa e o currículo dos palestrantes estão no site www.cici2010.org.br.
Representantes de mais de 50 cidades, de todos os continentes, já confirmaram presença na CICI2010. O evento acontecerá dentro da área de mais de 80 mil metros quadrados do Cietep, sede da Fiep no Jardim Botânico que tem localização estratégica, com acesso fácil e rápido ao Aeroporto Internacional Afonso Pena e a apenas 5 quilômetros do centro de Curitiba. São esperados cerca de 1.500 inscritos, que participarão de uma série de atividades durante os quatro dias da conferência.
“A inovação é o único caminho para construirmos uma sociedade sustentá vel. E para que as empresas brasileiras e todo o País inovem é preciso, antes de tudo, que nossas cidades sejam inovadoras”, afirma o presidente do Sistema Fiep, Rodrigo da Rocha Loures. “A CICI2010 será uma grande oportunidade para que possamos pôr nossas cidades definitivamente na rota da inovação”, acrescenta.
Copromovida pelas prefeituras de Curitiba, Lyon (França), Bengaluru (Índia) e Austin (Estados Unidos) e com apoio institucional das Nações Unidas, a conferência é dirigida a empresários, gestores públicos, pesquisadores, estudantes e interessados em inovação. O evento está dividido em quatro grandes temas: “O reflorescimento das cidades”, com experiências de inovações sociais e tecnológicas para a construção de um novo ambiente urbano; “A reinvenção do governo a partir das cidades”, que trará inovações em gestão e experiências de inovações políticas e da cidade como sistema vivo; “A governança do desenvolvimento nas cidades”, uma mostra de experiências de inovações para o desenvolvimento local e apresentação de experiências de inovações para a sustentabilidade; e “Cidade-rede e redes de cidades”, que servirá para a formação do núcleo da Rede de Cidades Inovadoras.
Paralelamente à CICI2010 serão realizados outros eventos integrados, c omo a Conferência Internacional sobre Redes Sociais, o 1º Encontro Internacional de Cidades de Médio Porte e o 2º Encontro de Governos Locais da Índia, Brasil e África do Sul. E será lançado o projeto “Curitiba, Cidade Inovadora 2030” , que visa transformar a cidade e sua região metropolitana em um espaço propício à inovação, à educação e ao surgimento de uma indústria mais sustentável.
Inscrições – As inscrições para a Conferência Internacional de Cidades Inovadoras podem ser feitas pelo site www.cici2010.org.br. Até 21 de fevereiro, o pacote completo para acompanhar o evento, com acesso liberado a toda a programação da conferência, tem preço promocional de R$ 440,00. Estudantes têm 50% de desconto. Também é possível adquirir pacotes menores, para acompanhar uma ou mais conferências da noite, onde estarão alguns dos principais palestrantes da CICI2010. O pagamento pode ser feito por cartão de crédito ou depósito bancário.
Apoio: Planeta Voluntários
Conferência Internacional de Cidades Inovadoras 2010
Curitiba/ Paraná/ Brasil
Agência de Notícias do Terceiro Setor 
Cidade
Não há vagas

Sem onde cair morto
Cemitério do distrito de Bonfim Paulista tem uma lista de espera de pelo menos 200 pessoas

GUTO SILVEIRA
Gazeta de Ribeirão

A pouca oferta de vagas para sepultamentos em Ribeirão Preto levou a uma situação inusitada. O cemitério do distrito de Bonfim Paulista tem uma lista de espera de aproximadamente 200 pessoas interessadas em comprar um jazigo perpétuo.

Segundo o chefe do cemitério de Bonfim, Osvaldo Braga, que acumula o cargo com o de chefe da Fiscalização Geral, diz que a venda só é feita com “corpo presente” ou para família com doente terminal. “Nesses casos é preciso autorização expressa da Secretaria de Infraestrutura”, afirma.

Ele explica que na medida que são vendidos os jazigos, novos são construídos em seguida. “Mantemos quatro prontos, para emergências.” Quatro também é a média mensal de sepultamentos no cemitério. “Se continuarmos com essa limitação, teremos cemitério para mais 15 a 20 anos. Caso contrário a gente ocupa todos os espaços rapidamente”, diz

Restrição é também a palavra de ordem no Bom Pastor. Apesar da “sobrevida” estimada em mais 15 anos, a venda de jazigos também é feita apenas quando há morte. O cemitério, com cerca de 10 mil sepultados tem espaço ainda para mais 5 mil.

O risco de falta de vagas levou Wandeir Silva, diretor financeiro da Coderp, responsável pela administração do cemitério, a propor à prefeita Dárcy Vera (DEM) a construção de jazigos com três gavetas para o sepultamento de indigentes. Hoje eles são enterrados em valas comuns e permanecem sepultados por, no mínimo, três anos. Crianças podem ficar apenas dois anos.

“Com os jazigos, multiplicaremos a capacidade por três, aumentaremos a sobrevida do cemitério e evitaremos a contaminação do aquífero Guarani, além do ganho social”, argumenta. Para a construção de 300 jazigos o custo seria próximo de R$ 300 mil.

O cemitério da Saudade, o maior (100 mil metros quadrados e 8,5 mil jazigos) e mais antigo (inaugurado em 1893), tem cerca de 121 mil pessoas sepultadas. Mas há cerca de dez anos não comercializa mais jazigos. Apenas famílias que os compraram têm local para sepultamento. Em Ribeirão, são realizados cerca de 300 sepultamentos por mês, média de dez por dia.

Empresário conseguiu uma ‘vaga’

Um empresário de Bonfim Paulista diz que há pouco mais de um ano a família dele conseguiu comprar um jazigo no cemitério do distrito. Garante, no entanto, que ficou vários anos na fila. Ele nem se identifica porque sabe da existência da fila de interessados. “Precisávamos comprar, porque temos família grande e já com idosos. Mas tive que insistir muito e esperar a oportunidade”, afirma. Mas não pretende utilizar logo a aquisição. “Tomara que fique vazio por muito tempo.” (GS)

Custo é o principal atrativo

A prevenção de famílias com a compra de jazigos faz sentido pelo custo. Em Bonfim Paulista, o custo é de R$ 3,4 mil cada, com seis gavetas. No Bom Pastor o preço é menor —R$ 2,4mil— com espaço para quatro corpos. Além do custo inicial é preciso também pagar taxas. Em Bonfim e no cemitério da Saudade a taxa de sepultamento é de R$ 71. No Bom pastor, que também tem taxa anual de manutenção de R$ 64, a taxa custa cerca de R$ 100. A nova opção, desde quinta-feira, é o Memorial Parque dos Girassóis, o cemitério-parque ecumênico de Ribeirão Preto, que terá 242 mil metros quadrados no final da construção. Na primeira etapa de operação foram implantados 150 jazigos, sendo que, cada um, possui o espaço dividido em três níveis. Cada jazigo custa cerca de R$ 4,6 mil, valor que pode ser parcelado em 60 meses. (GS)

Assine a Gazeta http://www.assinegazetaderibeirao.com.br/

Multinacional francesa vai controlar 60% da Santelisa Vale
Outros 40% fica com as famílias, bancos credores e BNDES

EPTV

A Santelisa Vale anunciou nesta segunda-feira (26), em Ribeirão Preto, a união com a multinacional francesa Louis Dreyfus Commodities, da França, que passa a controlar 60% da usina. Os outros 40% vão ser repartidos entre as famílias Biagi, Junqueira, bancos credores, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e um investidor que ainda será divulgado.

A associação faz da empresa a 2ª maior do setor sucroalcooleiro no Brasil, com expectativa de 40 milhões de toneladas de cana moídas para esta safra. Atualmente o maior grupo da categoria é o Cosan, com 18 usinas e uma moagem de 60 milhões de toneladas.

A Santelisa Vale tem cinco usinas: Santa Elisa, Vale Do Rosário, MB, Jardest e parte da Usina Continental. A dívida do grupo era de R$ 3 bilhões.

Uma reunião fechada entre os acionistas discutiu a nova estrutura e os novos investimentos do grupo devem ser anunciados nesta terça-feira (27).
http://eptv.globo.com/economia/economia_interna.aspx?275518

FPF divulga a tabela da Copa Paulista
Cruzeiro On Line
Quartas de Final

A Copa Paulista entrou na reta final, e dos 32 times que iniciaram a disputa em julho, somente oito seguem na briga pelo título, que dará ao campeão uma vaga na Copa do Brasil de 2010. Na tarde desta segunda-feira (26), a Federação Paulista de Futebol (FPF) divulgou as datas e horários das quartas de final da competição. Esta fase do torneio será disputada em jogos de ida e volta, e os times que fazem a segunda partida em casa jogam por dois empates ou uma vitória e uma derrota pelo mesmo saldo de gols. Os vencedores chegam às semifinais.

Os quatro jogos de ida das quartas de final serão disputados no próximo sábado. O Paulista recebe o Sertãozinho, às 15 horas, em Jundiaí, enquanto o São Bernardo enfrenta o Votoraty, em São Bernardo do Campo, às 16 horas. No mesmo horário, jogam Botafogo e Linense, em Ribeirão Preto, e, às 19 horas, XV de Piracicaba atua em seus domínios contra o Mogi Mirim.

Os confrontos de volta das quartas de final serão realizados nos dias 7 e 8 de novembro. No dia 7 jogam Votoraty e São Bernardo, às 15 horas, em Votorantim, e o Linense enfrenta o Botafogo, às 19 horas, em Lins. Já no dia 8, o Mogi Mirim recebe o XV de Piracicaba, às 10 horas, enquanto Sertãozinho e Paulista se enfrentam, às 11, em Sertãozinho.

Confira os jogos:

* Jogos de ida

Sábado 31/10

15 horas – Paulista x Sertãozinho

16 horas – São Bernardo x Votoraty – Botafogo x Linense

19 horas – XV de Piracicaba x Mogi Mirim

* Jogos de volta

Sábado – 7/11

15 horas – Votoraty x São Bernardo

19 horas – Linense x Botafogo

Domingo – 8/11

10 horas – Mogi Mirim x XV de Piracicaba

11 horas – Sertãozinho x Paulista.
(AE)

http://www.cruzeirodosul.inf.br/materia.phl?editoria=21&id=232082

Imagens mostram avião passando durante explosão em paiol no interior

Aeronave passou segundos antes do segundo estouro no local.
Acidente aconteceu em São José dos Campos, nesta quarta (18).

Do G1, com informações do Bom Dia São Paulo

Imagens flagradas por um morador de São José dos Campos, a 97 km de São Paulo, mostram a passagem de um avião bem próximo ao local das explosões em um paiol do Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial (CTA) na tarde de quarta-feira (18). A aeronave passou em meio à fumaça, segundos antes da segunda explosão.

O acidente aconteceu no local destinado ao armazenamento de munição e combustível para foguetes. Os prédios no entorno do paiol foram esvaziados – e toda a área, isolada. Bombeiros, policiais militares e equipes médicas do município foram chamados para atender à ocorrência.

O comando da Aeronáutica, por meio de nota oficial em seu site e assinada pelo brigadeiro do ar Antônio Carlos Moretti Bermudez, confirmou que, por volta das 14h15 desta quarta-feira (18), houve “uma sequência de queima de materiais explosivos em um dos paióis”. Uma pessoa teve ferimentos leves.

O barulho das explosões assustou os moradores que moram nos bairros próximos ao paiol. Em algumas casas, janelas e portas tremeram, e objetos chegaram a cair de mesas. Ainda não se sabe o que provocou o acidente.

De acordo com a direção do aeroporto de São José dos Campos, o avião que passou bem próximo à explosão é particular. Os vôos feitos pelas companhias que operam na cidade acontecem apenas no início da manhã e no fim da noite.

Operários caem de andaime e morrem em cemitério em Jaboticabal (SP)

Da equipe Portal VIA

Dois operários morreram nesta quinta-feira (29) ao caírem de um andaime de 40 metros de altura dentro do cemitério no município de Jaboticabal (SP), a 342 km de São Paulo. Um terceiro operário ficou gravemente ferido no acidente, mas não há informações atualizadas sobre o estado de saúde dele.

De acordo com informações da Polícia Civil, os três operários instalavam uma torre de antena de internet dentro de um cemitério no distrito de Lusitânia, na zona rural da cidade, quando a torre caiu e derrubou o andaime. Os dois, de 18 e 33 anos, morreram na hora.

Eles trabalhavam para uma empresa terceirizada pela A2 Engenharia, que presta serviço à prefeitura.

O local foi periciado pelo Instituto de Criminalística municipal, mas não há previsão de divulgação do laudo.

O caso será investigado pelo 2º Distrito Policial do município.

As informações são da Folha Online.

Torre desaba e dois operários morrem ao cair de uma altura de 40 metros em SP

Eles trabalhavam na instalação de torres de internet em Jaboticabal.
Outro operário teve ferimentos graves, e um quarto ficou em choque.

Do G1, com informações do Bom Dia São Paulo

Dois operários que trabalhavam em uma torre morreram nesta quinta-feira (29) ao cair de uma altura de 40 metros em Jaboticabal, a 342 km de São Paulo. De acordo com a Polícia Civil, a torre desabou, provocando a queda dos funcionários. Um terceiro operário foi internado em estado grave.

Quatro pessoas trabalhavam no local. O quarto homem, que estava embaixo e testemunhou o acidente, foi internado em estado de choque. Segundo testemunhas, os operários utilizavam equipamentos de segurança, mas não o capacete.

A torre ruiu por volta de 15h, quando os operários trabalhavam na instalação de rede de internet para cidade, uma obra da Prefeitura que é realizada pela Construtora A2. O serviço começou em dezembro de 2008 e tem previsão de ser concluído em fevereiro.

“Os funcionários estavam com equipamento de segurança, os andaimes pelo jeito amarrados. Vamos ver o que a Polícia Técnica constata agora”, afirmou Valdemir Lutti, secretário da prefeitura.

O local já foi periciado, e o laudo, que vai apontar as causas do acidente, deve sair em 30 dias.

Só acontece em Franca II

Publicado: 6 de novembro de 2008 em Regional
Só acontece em Franca
Conheça as estranhas histórias de Franca
Cidade de 320 mil habitantes alterna crimes violentos com casos bizarros que ganham projeção nacional.

Homem “estuprado” por cão é caso mais bizarro

Outro caso: dois investigadores tomavam chope em um restaurante da cidade na companhia de um foragido.
Cosmo Online

Vista geral da cidade de Franca onde acontecem casos bizarros
(Foto: Ângelo Pedigone/Diário da Franca)

Ocorrências absurdas têm ditado o noticiário policial da cidade, marcado por situações surpreendentes. Foi o caso de um garoto, então com 11 anos, que, levado à delegacia após invadir uma casa, aproveitou o descuido dos policiais e roubou uma viatura. Acabou apreendido somente 30 quilômetros distante ao quebrar o carro em uma estrada rural após intensa perseguição.

No ano passado um outro caso absurdo. Dois investigadores tomavam chope em um restaurante da cidade na companhia de um foragido. Abordados pela PM, alegaram desconhecer que seu companheiro fosse procurado, mas que o levariam então para a cadeia. No caminho resolveram passar na casa do foragido para que pegasse algumas roupas, ocasião em que ele fugiu.

Quem também esteve presente no noticiário foi a advogada Adriana Telline, acusada de roubar seus clientes em Franca. Após ser indiciada em vários inquéritos e ter sua prisão pedida pela polícia desapareceu. A última pista sobre seu paradeiro surgiu no Orkut, na Internet, dando a entender que estaria morando nos Emirados Árabes.

Um outro caso, este assustador, envolveu um gerente de fábrica que teve sua cabeça arrancada do corpo e jogada em um canavial no início do ano. E, mais recentemente, um outro caso perturbador.

Um estudante da Unesp, usando técnicas que aprendeu na internet, se matou na frente do computador colocando um saco plástico na cabeça.

Animal

Já quando o assunto é bizarrice dois casos chamam a atenção. Em um deles um homem foi flagrado transando com um muro. Isso mesmo. Ele teria furado um buraco na parede, onde colocou seu pênis. De lá ficava olhando para o quarto da vizinha e, ao mesmo tempo em que a observava, penetrava a parede. Ela acabou pegando-o em flagrante e o caso foi parar na polícia.

Também virou caso de polícia o pedreiro que chegou no hospital com um sangramento no ânus. Indagado pelas enfermeiras disse que todos os dias pela manhã, para cortar caminho saía de casa e atravessava um terreno próximo onde habitava um cão.

Naquele dia, durante a travessia sentiu uma dor de barriga e sem saída resolveu fazer suas necessidades ali mesmo no terreno. Ele alega que de repente sentiu o cão pular sobre suas costas e depois disso não sabe mais o que ocorreu, se lembrando apenas de ter visto o animal sobre seu corpo.

A versão acabou indo parar no boletim de ocorrência, que posteriormente virou objeto de arquivo. Mas uma veterinária especialista em comportamento animal garantiu que um cão não faz esse tipo de coisa, a não ser se for treinado.

Em janeiro de 2007, um dos casos de grande apelo emocional registrados na cidade. Maria Jerônima Campos se jogou em um córrego que tinha transbordado para salvar o filho Gabriel, então com 7 anos, que se afogava. Ele conseguiu, e as imagens correram o mundo. A foto ganhou o Prêmio Esso.

Crianças imitam programa de TV e sofrem queimaduras
Galão de 5 litros com líquido inflamável explodiu e provocou ferimentos em menino de 9 anos e sua prima de 12

Cosmo On Line

É gravíssimo o estado de saúde de Carlos Guilherme Rafael da Silva, de 9 anos, e de sua prima Natália Cristina da Silva Campos, de 12 anos, que sofreram queimaduras enquanto brincavam no último final de semana, no Jardim Portinari, em Franca. O garoto sofreu queimaduras em 73% do corpo e respira com a ajuda de aparelhos. Já a menina teve 65% do corpo queimado e apesar de estar respirando sem os equipamentos, também corre risco de morte.

Nesta semana a DDM (Delegacia de Defesa da Mulher), que vem respondendo na cidade pelos crimes envolvendo as crianças, começou a ouvir testemunhas do caso. A mãe da menina contou que as duas crianças estavam brincando imitando um programa de TV, onde cientistas fazem experiências malucas. Em uma delas eles colocaram fogo em algumas substâncias, o que teria chamado a atenção das crianças.

O programa em questão é o ‘Tudo é Possível‘ que tem à frente a apresentadora Eliana. Ele vai ao ar nos domingos, às 14h, nas TV Record, e tem entre seus quadros um chamado ‘Na Ciência, Tudo é Possível’, justamente o que teria servido de inspiração para as crianças, segundo narrou a mãe da garota.

As duas crianças receberam os primeiros cuidados na Santa Casa de Franca, mas devido à gravidade tiveram de ser transferidas para hospitais especializados. O menino está internado no Hospital para Queimados de Bauru e a menina no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto.

Segundo as testemunhas, as duas crianças brincavam com um solvente usado em oficina de carros quando misturaram outros produtos e puseram fogo. Um galão com aproximadamente 5 litros de um produto à base de álcool estava perto e explodiu causando as queimaduras.

Só acontece em Franca

Publicado: 3 de novembro de 2008 em Regional, São Paulo
Conheça as estranhas histórias de Franca
Cidade de 320 mil habitantes alterna crimes violentos com casos bizarros que ganham projeção nacional.

(Foto: Marcelo Cavalcante/AAN)

Cemitério recebe arame após caso de sexo com muro
(Foto: Renê Moreira)

É difícil passar uma semana sem que o nome da cidade de Franca apareça com destaque no noticiário nacional. São casos pitorescos dignos dos filmes do espanhol Pedro Almodóvar, passando pelo estilo sanguinário de Quentin Tarantino e chegando até às tramas misteriosas dos bons suspense de Alfred Hitchcock. O problema, entretanto, é que não se trata de filmes, mas sim da vida real, sem personagens fictícios e com finais, muitas vezes, trágicos.

A cidade, com cerca de 320 mil habitantes e localizada na região Nordeste do Estado, próxima a Ribeirão Preto e à divisa com Minas Gerais, há anos registra situações únicas e que chamam a atenção. O fato parece a cada vez mais freqüente e assustador, levantando entre a população uma pergunta até agora sem resposta: o que está acontecendo com Franca?

Paulo Zamikowski, presidente da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) local por seis anos e voluntário em programas sociais, diz ser difícil responder. “São situações inexplicáveis, como essa última em que um homem atirou na família. O que passava na cabeça dele? Não dá para entender”.

Eleito vereador, Zamikowski acredita ser possível fazer algo para ajudar a reverter essa situação. “Principalmente nos casos envolvendo menores, é possível criar políticas capazes de reduzir essa escalada da criminalidade”, explica.

Conhecido pólo de produção de calçados, Franca tem boa parte de sua população empregada nas cerca de 700 fábricas espalhadas por seus bairros.

A delegada de polícia Graciela de Lourdes David Ambrósio acredita que a perda de valores leva as pessoas a tomarem atitudes extremas e absurdas. “A impressão que se tem é que nada mais importa, as pessoas estão cada vez mais individualistas”. Porém, ela crê que o próprio poder público poderia ajudar. “Faltam áreas de lazer e opções culturais e esportivas para os jovens de Franca e isso, somado a outros fatores, colabora para que tenhamos de nos deparar com tantas situações absurdas”.

O número de casos estranhos é tão grande que alguns acabam passando desapercebidos. No final da semana passada, por exemplo, quando as atenções se voltavam para a chacina em que um ex-seminarista atirou na mulher, nos filhos e em sua própria mãe, um acidente de trânsito inusitado ficou em segundo plano. Um homem montado em um pequeno burro foi atropelado ao atravessar uma rodovia. Resultado: ele e o burro morreram.

Muitas vezes Franca registra casos que chamam a atenção nem sempre pelo resultado trágico, mas pela forma como ocorrem. Uma festa de universitários, no ano passado, foi o palco de um destes casos. Na hora de ir embora, um motociclista deu carona para um deficiente físico, mas de uma maneira pouco usual. A pedido do mesmo, amarrou uma corda em sua cadeira de rodas e a outra extremidade na garupa da moto e saiu puxando o cadeirante, na madrugada, pela cidade. Até o desfecho trágico: a cadeira de rodas capotou e seu ocupante saiu bastante ferido. Felizmente, nesse caso pelo menos, ele sobreviveu.

Para alguns, situações como esta remetem diretamente ao uso de álcool e drogas. Foi o que fez na semana passada um caso de exorcismo acabar em morte. Um homem, sua filha e o genro foram a um velório, passando a ingerir bebidas alcoólicas no retorno para casa. Após horas de bebedeira a jovem começou a correr seminua pela rua e gritando desesperadamente.

Vizinhos não tiveram dúvida de que se tratava de uma possessão demoníaca e acionaram um pastor. Após muito trabalho ele conseguiu fazer com que a mulher voltasse ao normal, ocasião em que o pai começou a culpar o genro pelo ocorrido e o ameaçou com uma faca. Em seguida acabou atingido com uma joelhada no peito e morreu nos braços do pastor.

As drogas também estão presentes em relatos como o do ex-seminarista que atirou na cabeça da mulher, dos filhos e da própria mãe, voltando a colocar o nome de Franca em evidência em todo o País. Explicação definitiva para seu ato e o conjunto de casos estranhos na cidade? Até agora, nenhuma.

Cosmo Online


03/12/2006
FRANCA, NO INTERIOR DE SÃO PAULO, REGISTRA SÉRIE DE CASOS BIZARROS

Clarice Sá, do G1, em São Paulo

Foto: Editoria de Arte
Foto: Editoria de Arte

Caso do gótico que queria transformar um caixão em cama caiu na boca dos francanos

O que acontece em
Franca? A cidade de 330 mil habitantes na região de Ribeirão Preto, a 400 km de São Paulo, registrou nos últimos três meses três histórias bizarras, todas relacionadas ao mesmo local: o Cemitério da Saudade, o mais antigo do município.

No dia 27 de setembro, um casal gay na faixa dos cinqüenta anos foi alertado por atentado ao pudor, pelo que fazia em cima de uma lápide. No dia 11 de novembro, um gótico tentou furtar um caixão, para transformá-lo em cama. No dia 27 do mesmo mês, uma quadrilha roubou 17 vasos de bronze usados como enfeite e avaliados em cerca de R$ 130 cada. Tudo no Cemitério da Saudade.

Um dos delegados da Seccional de Franca, Luís Carlos de Almeida, considera os casos “muito bizarros” e conta que, em dez anos de trabalho na cidade, nunca se deparou com casos assim. “Mas em uma cidade igual a nossa não pode ser mesmo tudo certinho sempre”, diz.

O primeiro dos casos, o dos namorados gays, chocou na época (a começar pela viúva do dono da lápide, que viu tudo), mas não deixou muitas lembranças. O padre Márcio Rigolin, um dos vigários da Catedral Nossa Senhora da Conceição, vizinha ao cemitério, não sabe do caso até hoje. “Nem posso comentar”, diz tranqüilo.

Em contraste, o caso seguinte, o do caixão-cama, caiu na boca dos francanos. “Um pessoal estava passando na rua, viu o caixão fora do cemitério e avisou a polícia. Imagina o susto. Você está passando do lado do cemitério e vê um caixão na rua. Imagina”, diz o tenente Sérgio Buranelli, comandante da Guarda Civil e diretor da Divisão de Segurança do município.

“Quando fiquei sabendo do gótico, achei muito estranho”, conta o artesão e comerciante Leandro Henrique Borges, de 27 anos. Leandro soube do caso pela mãe e conta que não ficou alarmado. “Meu pai está lá naquele cemitério há 16 anos. E meu meu avô, que morreu há três meses, também. Mas onde eles estão seria muito difícil tentarem tirar o caixão”, afirma.

O caso mais recente, dos vasos, não rendeu piada alguma. O comandante da Guarda Municipal classifica o crime como “uma dessas coisas loucas” e garante que o grupo que invadiu o cemitério para levar as peças de bronze será preso. “A Polícia Militar está em cima desse caso, a Guarda Civil aumentou as rondas na região do cemitério e a Polícia Civil também está envolvida”, assegura.

Apesar dos sustos de quando ouviram essas notícias, os francanos ouvidos pelo G1 tentam, hoje, esconder o pasmo. “Eu não me assustei com isso, não”, conta Terezinha Augusta, que mora em Franca há 28 anos e é enfermeira. “Meu marido é sargento e a gente vê tanta coisa acontecendo. O povo comenta esse caso do casal, do gótico, pergunta para mim: ‘vc viu?’ e eu digo ‘vi, e daí?’ Porque não eu não tenho medo disso”.
Fonte G1


03/09/2007
Pedreiro é flagrado transando com um muro

Uma cena no mínimo muito estranha foi presenciada na madrugada da ~ultima sexta-feira por uma dona-de-casa de Franca. Ao ouvir um barulho no quintal de sua casa, levantou da cama e foi ver o que acontecia. Teve então uma tremenda surpresa ao se deparar com o vizinho, um pedreiro de 59 anos, transando com o muro.

A cena deixou a mulher perplexa e de imediato ela acionou a polícia. Ela contou que o vizinho, A.G.M, estava com suas partes íntimas de fora penetrando um buraco no muro, sussurrando e acariciando a parede bastante áspera. O mais incrível é que levado ao plantão policial, o acusado confessou tudo e garantiu que estava arrependido.

Já a mulher contou que há tempos vinha desconfiando dos comportamentos estranhos do vizinho, que teria mexido com sua filha de apenas dez anos há poucos dias quando a mesma voltava de uma padaria. Entretanto, ela diz que não esperava nunca ter visto uma cena tão grotesca como a que presenciou no muro que divide sua casa com a do pedreiro, na rua Egídio de Castro Oliveira,
no Jardim Aeroporto.

O escrivão de polícia Rogério Primo contou que o acusado já esteve preso por atentado violento ao pudor. Dessa vez acabou indiciado por importunação ofensiva ao pudor e liberado algumas horas depois e, ao contrário do que se imagina, não apresentava sinais de qualquer tipo de distúrbio mental.

Antes de deixar a delegacia, durante o período em que permaneceu no local, o pedreiro ficou de “castigo” lendo um livro religioso sobre direitos humanos que fica plantão policial. E ao deixar o distrito garantiu ter aprendido muito com a obra. De todo modo será investigado pela polícia, que quer saber se ele não está envolvido em algum outro crime de ordem sexual registrado na região.
Paulinia News