Arquivo da categoria ‘Animal’

Cidades

Invasoras, carpas e tilápias surgem no ribeirão Preto
J.F.PIMENTA

Invasoras, carpas e tilápias surgem no ribeirão Preto
RIBEIRÃO
Espécies exóticas são vistas perto da Francisco Junqueira


Carpas e tilápias têm sido vistas no ribeirão Preto, junto à avenida Francisco Junqueira. Mas a presença das duas espécies no córrego não pode ser interpretada como sinal de revitalização de suas águas.

De acordo com o especialista Ricardo Macedo Corrêa e Castro, as duas espécies não são nativas: a tilápia é da África e a carpa é européia. Segundo ele, essas espécies foram introduzidas nos séculos 19 e 20 para a psicultura e, por terem se desenvolvido em outro lugar, são muito mais resistentes às adversidades ambientais.

Castro disse que a limpeza do rio deveria trazer de volta espécies da condição primitiva, como o lambari. De acordo com o professor, a tilapia e a carpa, espécies consideradas exóticas no mercado, podem ser avaliadas como um “câncer” do ponto de vista da natureza nos rios porque, além de se reproduzirem largamente, têm alto índice de sobrevivência.

As duas espécies ainda costumam ser nocivas a outros tipos de peixe. Na sua avaliação, mesmo que os rios de Ribeirão Preto fiquem absolutamente limpos e os peixes típicos retornem às suas águas, a tilapia e a carpa podem continuar no mesmo habitat por décadas.

Ele afirma que esse tipo de peixe pode ter seu comportamento afetado pela influência do homem em águas urbanas. O fato de pessoas que passam pela Francisco Junqueira os alimentarem, por exemplo, pode ser determinante para que eles continuem no rio.

Por outro lado, o professor descarta completamente a hipótese de pescar essas espécies e usá-las para a alimentação. “As águas dos rios estão contaminadas com vários tipos de metais e, mesmo com o tratamento das águas, nada impede que haja um esgoto clandestino, por exemplo. Ao ingerir esse peixe, você pode se contaminar com metais ou até desenvolver uma infecção”.

Sábado terá mutirão de castração no Centro de Controle de Zoonoses

Em lembrança ao “Dia de Francisco”, protetor dos animais, e também ao “Dia Internacional dos Animais”, comemorados neste sábado, dia 4, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), realizará um mutirão de castração.

Ao todo, 30 gatos cadastrados no CCZ passarão pelo processo cirúrgico, que ocorrerá em sua sede, localizada na avenida Eduardo Andréa Mattarazo, nº 4.255, no Marincek. Essa ação será desenvolvida em parceria com alunos e professores do curso de Medicina Veterinária, do Centro Universitário Barão de Mauá.

Nesse mutirão, a SMS fornecerá toda a infra-estrutura necessária para as cirurgias, como os medicamentos e insumos. Além disso, o agendamento dos animais também foi feita pela equipe do Centro de Controle de Zoonoses.

Coordenadoria de Comunicação Social

Ao todo, serão montados 10 postos fixos de vacinação, que estarão imunizando cães e gatos, das 10 às 16h

Com o objetivo de vacinar cães e gatos ainda não imunizados contra a raiva animal, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), realizará no próximo sábado, dia 27, um “repasse vacinal”. Ao todo, serão montados 10 postos fixos de vacinação (conforme lista abaixo) em locais onde houve queda no número de animais vacinados e de acordo com a quantidade de primo-vacinados, ou seja, que devem receber a segunda dose da vacina.

A ação, que ocorrerá das 10h às 16h, contará com a participação de 25 pessoas, e tem a expectativa de vacinar dois mil animais. A meta total da “Campanha Municipal de Vacinação contra Raiva Animal”, que será encerrada no próximo dia 30, é vacinar 67 mil animais.

Segundo a chefe do Controle de Zoonoses, Eliana Collucci, a data para o “repasse vacinal” foi escolhida devido ao “Dia Mundial de Luta contra Raiva”, lembrado no próximo dia 28.

Postos –

Campos Elíseos (Praça Rômulo Morandi – rua: Marques de Pombal com Francisco Matarazzo);

Complexo Florestan Fernandes (em frente ao Supermercado Mialich – av: Dr. Fernandes Garcia, s/nº);

Complexo Jardim Aeroporto (Bar do Azulão – av. João Pessoa, nº 307);

Vila Virgínia (Praça José Rossi – rua: Franco da Rocha com Barão de Mauá);

Jardim Procópio (Parque Tom Jobim – rua Américo Batista com rua Luiz Augusto Veludo);

Quintino Facci II (Praça Quintino Facci II – avenida Demétrio Chaguri com General Euclides de Figueiredo);

Portal do Alto (BAC Portal do Alto – avenida Ivo Pareschi, s/nº);

Parque São Sebastião (em frente a Emei Jarbas Massulo – rua: Heron Domingues);

Cândido Portinari (em frente a bomba do Daerp – av. Prof. Dina Rizzi com a Nelson Pestana de Mello) e no

Marincek (Centro de Controle de Zoonoses – av. Eduardo Andréia Matarazzo, nº 4.255).

Pimenta na calçada vira arma contra cocô de cachorro em São Paulo

ESTÊVÃO BERTONI
da Folha de S.Paulo

Estão ardidas as calçadas de Copacabana, uma rua em Santana, na zona norte de São Paulo, onde mora a auxiliar de enfermagem Lígia Santos, 60.

Cansada de atolar o pé em cocôs de cachorro na porta de casa toda manhã, ela apelou para uma tática que considera altamente eficaz para espantar a cachorrada: destampou o vidro de conserva e “temperou” a calçada com pimenta. “Funciona que é uma beleza”, afirma a auxiliar de enfermagem.

Em média, 12 pessoas ligam diariamente para a prefeitura para solicitar a limpeza de vias públicas –sujas não só por fezes de cachorro. A Folha visitou alguns bairros e constatou que a insatisfação é grande.

Fixada em 2001, a lei municipal 13.131 estipula uma multa de R$ 10 para quem não recolher das ruas as fezes de animal – longe dos valores da Lei Cidade Limpa, de no mínimo R$ 10 mil para quem descumpri-la. De difícil fiscalização, como reconhece a própria prefeitura –que não informou se já foi registrada alguma punição -, os moradores vão se virando para contornar a sujeira.

Notícia Completa no Link abaixo
Folha Online – Cotidiano
Folha Online

Criatura estranha se torna sensação na web

Publicado: 2 de agosto de 2008 em Animal

Na web, o ser está sendo chamado de ‘Mountauk Monster’

Tv Canal 13

Alguns especialistas afirmam que pode se tratar de um tipo de cachorro, outros falam em uma tartaruga sem o casco

Virou fenômeno. Mas será um monstro? Não sei. Quem saberá? A foto de uma criatura morta, supostamente feita em uma praia do estado de Nova York no mês passado, tornou-se a imagem mais reproduzida na blogosfera das quatro esquinas do mundo, e está dividindo biólogos em todo o planeta.

O que será aquilo? Na web, o ser está sendo chamado de ‘Mountauk Monster’ Uma celebridade póstuma.

A besta clicada não tem pêlos, ostenta um couro aparentemente bem resistente, apresenta dentes afiados e parece ter uma espécie de bico.

O clique do “Montauk Monster”, feito por uma mulher de 26 anos que andava pela praia, já circulou por gigantes da mídia como CNN e Fox.

As teorias e os debates na grande rede sobre o ser misterioso se multiplicam. Gente jura já ter visto outro exemplar da criatura em algum lugar. Alguns especialistas afirmam que pode se tratar de um tipo de cachorro, outros falam em uma tartaruga sem o casco. E você?
O que ninguém sabe é para onde levaram o cadáver. Será que ele morreu mesmo? É bom tomar cuidado!



Montauk Monster: VOLE Or SATAN? 5 Reasons Why We Are So Fascinated By the Montauk Monster Scientist Plea From Montauk Monster Finders Montauk Monster Scare Gets All the Way to the C-N-N

Cadela encontra recém-nascido abandonado

Publicado: 24 de julho de 2008 em Animal
Cadela encontra recém-nascido abandonado
Cadela arrastou até a calçada a caixa de papelão em que o bebê estava, salvando a vida do recém-nascido; estado de saúde do menino é estável
Ademar de Oliveira-AE

“Xuxa”
Um recém-nascido foi salvo na madrugada desta quarta (23) por uma cadela após ter sido abandonado em um lote vago na cidade de Santo Antônio do Monte, região centro-oeste de Minas Gerais, a 185 quilômetros de Belo Horizonte. A cadela mestiça Xuxa se tornou a atração do bairro Nossa Senhora de Fátima por ter encontrado e arrastado até a calçada a caixa de papelão em que o bebê estava. O menino foi encontrado sujo de sangue e ainda com o cordão umbilical.

De acordo com vizinhos, a dona da cadela, Maria Luzia Campos, de 27 anos, acordou com os latidos do animal. Estranhando o comportamento de Xuxa, a mulher decidiu abrir o portão. A cadela saiu em disparada, atravessou a rua e entrou no lote vago, de onde saiu puxando pela boca e empurrando com o focinho a caixa de papelão. Quando percebeu que se tratava de uma criança, Maria Luzia chamou o vizinho Valdeci Antônio da Silva, de 35 anos, que acionou a Polícia Militar (PM).

Na opinião de Valdeci, a ação da cadela foi providencial para a sobrevivência do bebê. “A gente não sabe quanto tempo a criança ficou lá no sereno. Estava bem frio aqui e se não fosse a cadela, não tínhamos achado naquela hora e ela podia não ter sobrevivido”, disse. Maria Luzia contou que só quando chegou perto da caixa de papelão conseguiu escutar o choro do recém-nascido.

O bebê foi levado para a Santa Casa da cidade, onde permanecia internado. Seu estado de saúde é considerado estável, segundo a psicóloga Janaína Machado. O recém-nascido chegou ao hospital com 44 centímetros e pesando 2,620 quilos. Ele passou por uma incubadora e depois foi colocado em um berço aquecido. O menino passará por todos os exames clínicos e iniciou uma dieta nutricional. A Polícia Civil informou que vai instaurar inquérito para investigar o caso. Não há informações sobre o paradeiro da mãe.

Agência Estado

Menino morde Pitbull após ser atacado em Sabará-MG

Um garoto de 11 anos mordeu um pitbull, após ser atacado pelo animal, ontem em Sabará, na região metropolitana de Belo Horizonte, segundo informações do Corpo de Bombeiros. Ele brincava no quintal da casa do tio quando o cão, que estava preso a uma corrente, avançou e mordeu seu braço.


De acordo com depoimento do menino, ele apertou o pescoço do cachorro e deu a mordida para se defender. Um dos dentes do garoto chegou a quebrar e ficar preso ao animal, segundo os bombeiros.

Testemunhas conseguiram separar o cão do menino, que foi levado para o Hospital João XXIII. Ele foi medicado e levou cerca de sete pontos no braço. Em seguida, foi liberado. O cachorro foi encaminhado ao Centro de Zoonoses da cidade, onde ficará sob observação.