CULTURA – SP | Grade de Programacao de segunda 20-02-2012

Publicado: 19 de fevereiro de 2012 em Televisão, Tv Cultura
Tv Cultura – SP – Grade de Programação de segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012
Programação Tv Cultura

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

06:00 – Tecendo o Saber
06:30 – Novo Telecurso Ensino Fundamental
06:45 – Novo Telecurso Ensino Médio
07:00 – Telecurso TEC
07:15 – Telecurso Profissionalizante
07:30 – Tamanho Família
08:15 – Pocoyo
08:30 – Castelo Rá Tim Bum
09:00 – Quintal da Cultura
11:00 – Bob, o construtor
11:30 – Arthur
11:45 – Cocoricó
12:00 – Os Camundongos Aventureiros
12:30 – Jakers! As aventuras de Piggley Wink
13:00 – Os Sete Monstrinhos
13:20 – Shaun, o Carneiro
13:30 – Cyberchase
14:00 – Doug
14:30 – Quintal da Cultura

17:25 – Matinê Cultura – Os Amigos do Sunny Patch da Miss Spider / Juro que Vi: O Curupira / Juro que Vi: Matinta Perera
Os Amigos do Sunny Patch da Miss Spider / Juro que Vi: O Curupira / Juro que Vi: Matinta Perera
Os Amigos do Sunny Patch da Miss Spider – O Príncipe, a Princesa e a Abelha

O Bosque do Sol está tomado pela febre real. Uma nova princesa pôs ovos na colméia – a Princesa Mel. Insetos vêm voando ou pulando de toda a parte para visitar a nova princesa. Uma Princesa Besouro fala a Jóia a respeito da princesa do Vale dos Cogumelos que está desaparecida. Todos os anos o Rei Rigel e a Rainha Safira, dos Besouros-Jóias, oferecem um grande baile no Vale dos Cogumelos na esperança de encontrar a filha perdida. Jóia diz que ela foi adotada e que é um besouro perdido. Ela seria a princesa desaparecida? É o que Jóia realmente espera. Tudo o que ela tem a fazer é ir ao Vale dos Cogumelos e passar por um teste para ser aprovada.

Ficha Técnica
Gênero: Animação
Título Original: Miss Spider’s Sunny Patch Friends – The Prince, the Princess and the Bee
Produção: Nelvana Productions
Direção: Neil Affleck
Ano: 2006
País: Canadá e EUA
Duração: 48 minutos
Classificação Indicativa: Livre

Juro que Vi: O Curupira

Animação conta a lenda brasileira do Curupira.

Ficha Técnica
Gênero: Animação
Título Original: Juro que Vi: O Curupira
Produção: Multirio
Direção: Humberto Avelar
Ano: 2003
País: Brasil
Duração: 11 minutos
Classificação indicativa: Livre


Juro que Vi: Matinta Perera

No interior do Brasil, reza a lenda que quando Matinta Perera passa por um vilarejo, e não encontra oferendas, uma tragédia pode acontecer. Uma menina e seu gato acabam, por acaso, descobrindo os mistérios da bruxa Matinta Perera que se transforma em pássaro e que abre conhecimentos sobre um mundo novo e maravilhoso, o que permite a menina suplantar seus medos.

Ficha Técnica
Gênero: animação
Título Original: Matinta Perera
Direção: Humberto Avelar
Ano: 2006
País: Brasil
Duração: 13 minutos
Classificação Indicativa: Livre
Prêmios:
Melhor Cenografia no Festival de Animação de Gramado 2007
Melhor Trilha Sonora no Festival de Animação de Gramado 2007
The Japan Foundation President’s Prize no Japan Prize 2007
Melhor Filme – Júri Infantil na Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis 2007

18:45 – O Mundo de Beakman
19:15 – Pé na Rua
19:25 – Deu Paula na TV
19:30 – Inglês com Música – A música desta semana é Pretty Woman do Roy Orbison, trilha sonora do filme Uma Linda Mulher.
19:45 – Woohoo News
19:55 – Deu Paula na TV
20:00 – Pé na Rua
20:10 – Metrópolis

20:40 – Ponto de Virada – Maurício de Sousa
Maurício de Sousa
Maurício de Sousa nasceu no ano de 1935, em Santa Isabel, região metropolitana de São Paulo. Publicou a primeira tirinha em 1959 no jornal Folha da Manhã, onde trabalhou como repórter policial durante 5 anos.

Em 1970 lançou a primeira revista em quadrinhos, “Mônica”, com tiragem inicial de 200 mil exemplares. Desde então, Maurício já vendeu mais de 1 bilhão de exemplares em cerca de 120 países.

No dia 13 de maio de 2011 tomou posse na Academia Paulista de Letras, tornando-se o primeiro quadrinista a ocupar uma cadeira na instituição.
21:10 – Jornal da Cultura

22:00 – Roda Viva – Laerte Coutinho
Laerte Coutinho
No centro do programa, Laerte deve falar, entre outros assuntos, sobre quadrinhos, humor e carreira. Outro tema é o crossdressing. O cartunista, que passou a se vestir como mulher, recentemente figurou nos jornais quando decidiu acionar a Justiça contra uma pizzaria que tentou impedi-lo de usar o banheiro feminino.

Apresentado pelo jornalista Mario Sergio Conti, o Roda Viva traz para a bancada Caco Galhardo e Angeli, ambos cartunistas, Paulo Ramos (professor de Letras da Universidade Federal de São Paulo), Anna Veronica Mautner (psicanalista) e Milly Lacombe (escritora e colunista da Revista TPM).

23:30 – Cultura Documentários – A História de Kim
A História de Kim
Se há uma fotografia que captou a natureza horrível de guerra do Vietnã, foi aquela de uma menina de nove anos correndo nua numa estrada e chorando por causa das queimaduras de napalm que devoravam sua carne. Lamentavelmente, a foto que comoveu e levou às lágrimas milhões no mundo inteiro e desempenhou um papel importante para o êxito do movimento contra a guerra do Vietnã, fez de Kim Phuc uma figura simbólica que foi usada durante muitos anos pelo governo Vietnamita.

Contando a história de Kim, Shelley Saywell usa pungentemente os noticiários daquela época, quando a menina horrivelmente ferida correu para os jornalistas, pedindo ajuda, que foi dada heroicamente. Ela também filmou os médicos e os jornalistas que garantiram a sobrevivência de Kim, há 25 anos.

A equipe de filmagem de Saywell acompanhou numa odisséia notável ao muro do Memorial do Vietnã, em Washington, como parte das cerimônias do Dia dos Veteranos dos Estados Unidos. Lá, dignitários lutaram para conter as lágrimas quando Kim, que para eles ainda era a menina que o mundo inteiro queria consolar, deixou claro que sua missão era de um perdão amplo.

Título Original: Kim’s Story
Direção: G.S. Jones
Ano: 2006
Origem: Canadá
Duração: 47 min.
Colorido
Classificação Indicativa: Livre

00:30 – Invenção do Contemporâneo – Novas Formas de Subjetivações
Novas Formas de Subjetivações
O mundo globalizado pós-moderno, transformou as relações sociais e colocou a psicanálise diante de um impasse. O modelo vertical de antes, representado pela autoridade paterna ou pela mediação do Estado, perdeu seu lugar e o Édipo, como referência ética, foi colocado em questão. O poder político e as instâncias mediadoras se esvaziaram. Vivemos numa sociedade de risco e do salve-se-quem-puder.

Neste Invenção do Contemporâneo, o psicanalista Joel Birman nos fala do mal estar decorrente desse novo modelo e das novas formas de subjetivação que ele está produzindo.

Que alternativas temos para lidar com essa nova subjetividade? De que forma a psicanálise pode ajudar o homem desbussolado do século XXI?

Twitter.com/tiosamnews

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s