Por toda minha vida: programa conta a vida do cantor Cazuza nesta quinta

Publicado: 19 de novembro de 2009 em Especial, Globo
Por toda minha vida: programa conta a vida do cantor Cazuza nesta quinta, 19
https://i1.wp.com/imprensa.globo.com/_links/63.jpg
Especial mostra todo amor e rebeldia do controverso cantor

Divulgação / TV Globo
Divulgação/TV Globo/ Divulgação / TV Globo
Cazuza é interpretado pelo ator Daniel Granieri

Na noite desta quinta-feira, 19, a Rede Globo rende homenagem a um dos mais talentosos e controversos artistas da música: Cazuza. A trajetória do cantor é tema do especial Por Toda Minha Vida, que a emissora exibe às 23h05, logo após A Grande Família.

Para retratar o universo de Agenor de Miranda Araújo Neto, o Cazuza, a equipe do programa recorre à dramatizações, imagens de arquivo e depoimentos de amigos e familiares, como o jornalista Pedro Bial, os cantores Ney Matogrosso, Sandra de Sá, Bebel Gilberto, Roberto Frejat, o produtor musical Ezequiel Neves e seus pais, Lucinha e João Araújo.

– A Lucinha Araújo abriu o baú dos seus arquivos para nossa pesquisadora Júlia Schnoor e lá encontramos coisas preciosas, como momentos de intimidade dele, comemorando um aniversário em Itaipava, região serrana do Rio de Janeiro – conta George Moura, redator do programa.

No especial, o jornalista e amigo Pedro Bial relembra a época em que queriam revolucionar o mundo. Para os então meninos, “ou a vida era uma grande aventura ou não era nada!”.

Programa revela as nuances do poeta da rebeldia, da solidão e do amor

Caju, como era chamado por seus amigos, gritou por uma geração que desconhecia a democracia. Capaz de oscilar entre a doçura e a crueldade, ele escrevia versos que escancaravam os desejos de uma juventude que se libertava de vinte anos de ditadura. Sua música traduzia a angústia e a euforia de toda uma geração. Ele foi considerado o poeta da rebeldia, da solidão e do amor.

Filho do fundador da Som Livre, Cazuza sempre esteve cercado por artistas. Mas foi preciso que Guto Graça Melo, então diretor-artístico da gravadora, e Ezequiel Neves, assistente deste, batessem várias vezes na sala de João Araújo para que ele ouvisse a fita do rapaz cantando com o Barão Vermelho.

– E era boa! Eu acabei sendo convencido a gravar – relembra em cena que vai ao ar no programa.

O grupo, que tocava rock em português, teve sucessos como “Todo Amor que Houver nesta Vida” e “Pro Dia Nascer Feliz”, que Ney Matogrosso lançou para todo o Brasil. O êxito foi enorme, no entanto, os conflitos se tornaram frequentes e Cazuza já não queria mais cantar apenas rock.

– Fiquei conhecido como roqueiro, mas sempre tive uma paixão enorme pela Bossa Nova, por aquela coisa cult, intimista, pelo canto no pé do ouvido, aquela coisa íntima mesmo e resolvi gravar uma. Vamos ver. Está aí – conta Cazuza em uma de suas entrevistas que o Por Toda Minha Vida exibe.

Às vésperas de lançar o primeiro LP solo, “Exagerado”, a saúde de Cazuza se tornou cada vez mais frágil. A descoberta de que era soropositivo e todo o sofrimento que a doença acarretou não tiraram a intensidade e a ousadia do cantor. A partir daí, sua poesia passou a carregar a emoção de quem estava vivendo com novas perspectivas.

– Eu comecei a me preocupar em ver o lado de fora da janela, em ver o coletivo – disse na época em que escreveu músicas como “Brasil”, “Um trem pras estrelas” e “Codinome Beija-flor”.

Cazuza morreu jovem, aos 32 anos. A mãe Lucinha Araújo relata:

– Ele botou para quebrar. Foi uma vida intensa, mais rica do que a minha.

Apresentado por Fernanda Lima, Por Toda Minha Vida Cazuza tem direção de núcleo de Ricardo Waddington e direção de Gustavo Fernandez. Escrito por Teresa Frota, apresenta reportagem de Fernanda Scalzo e redação final de George Moura.

Os episódios seguintes terão os cantores Raul Seixas e Claudinho

A trajetória de nomes que marcaram o cenário cultural brasileiro volta à cena na nova temporada de Por Toda Minha Vida, que a Rede Globo exibe a partir desta quinta, dia 19, às 23h05, logo após A Grande Família. No primeiro programa, o público relembra a trajetória de Cazuza, através de dramatização da vida do cantor, depoimento de familiares e amigos, além de trechos de shows e reportagens.

Divulgação / TV Globo
Divulgação/TV Globo/ Divulgação / TV Globo
Dramatização: Ligia Cortez é Lucinha Araújo e Daniel Granieri, Cazuza
saiba mais

Pedro Bial, Ney Matogrosso, Sandra de Sá, Bebel Gilberto, Roberto Frejat, Ezequiel Neves e seus pais, Lucinha e João Araújo, fazem parte do especial em homenagem a um dos maiores cantores do Brasil, interpretado pelo ator Daniel Granieri.

Por toda minha vida é um híbrido de documentário com novela, apresentado por Fernanda Lima, com direção de núcleo de Ricardo Waddington e redação final de George Moura. O programa, que neste ano concorre pela terceira vez ao Emmy International Awards na categoria “Programa de Arte”, vai ao ar toda quinta-feira, após A Grande Família.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s